MAYRA ANDRADE ESTREIA NOVO DISCO AO VIVO

Lisboa, Centro Cultural de Belém – 2 de Dezembro | Porto, Casa da Música – 3 de Dezembro

Bilhetes já à venda na Ticketline, Lojas FNAC, Worten, CCB, Casa Da Música e locais habituais.

Mayra Andrade estreia em Portugal o novíssimo espetáculo “Lovely Difficult”, uma apresentação do seu novo disco de originais .

A cantora cabo-verdiana, detentora de vários e prestigiados prémios internacionais, edita em Setembro próximo o novo trabalho produzido em Brighton por Mike “Prince Fatty” Pelanconi (que trabalhou com nomes como Lily Allen, Graham Coxon, etc.) e contou com colaborações de artistas de origens muito distintas como Yael Naim e David Donatien, Piers Faccini, Tété, Benjamin Biolay, Hugh Coltman, Krystle Warren, Pascal Danae, Mario Lucio Sousa, entre outros.

 A voz de Mayra é uma mistura de tons radiantes, dançantes, batidas aveludadas e melodias apimentadas como se a Europa da pop tivesse sempre sido um arquipélago tropical. Lovely Difficult contém canções cantadas em crioulo cabo-verdiano, inglês e português. A sonoridade pop de Mayra abrange o mundo inteiro, desde o romantismo ocidental até à sensualidade do sul, o reggae tradicional e música africana.

Um espectáculo imperdível!

Santos & Pecadores – “Quero” é o novo single

Os Santos & Pecadores querem, podem e cantam.

Este grupo provou em tempos recentes ser um dos mais queridos do público português, percorrendo o país de norte a sul para concertos aplaudidos com o entusiasmo que se devota apenas às grandes bandas.

Agora, o grupo de Olavo Bilac está de volta com o primeiro original que lança desde 2010, ano que viu a edição de “Energia”.

O novo tema tem por título “Quero” e é um dueto com Susana Félix, uma das mais veneradas vozes da pop nacional, e tem assinatura de Amélia Muge, compositora de créditos firmados que já escreveu para algumas das maiores vozes nacionais.

As condições para algo especial estão reunidas: uma canção que entra nos nossos ouvidos e se instala de forma confortável, duas vozes de excepção que já deram muitos sucessos à música portuguesa e uma banda em estado de graça.

“Quero” é Santos & Pecadores na melhor forma.

Façam o favor de ouvir…

Vá ao facebook da UGURU para ficar a conhecer este tema em primeiríssima mão.

PEDRO MOUTINHO – “O AMOR NÃO PODE ESPERAR” O novo álbum a 8 DE JULHO editado pela EMI Music Portugal. “Rua da Esperança” é o tema de apresentação

Base Packshot FinalPedro Moutinho tem novo disco. “O Amor Não Pode Esperar” tem data de lançamento agendada para o dia 8 de Julho. “Rua da Esperança”, o tema de apresentação do quarto trabalho de Pedro Moutinho, tem autoria de Amélia Muge e pode ser uma marcha soalheira, um voto de alegria ou simplesmente um caminho irresistível. “Rua da Esperança” dá-nos os bons dias a 12 de Junho, véspera de Santo António em Lisboa. Num rigoroso exclusivo da Antena 1. “O Amor Não Pode Esperar”conta ainda com composições de alguns dos nomes maiores da poesia portuguesa: Aldina Duarte, Fausto Bordalo Dias, Manuela de Freitas, Teresa Tarouca ou Tiago Torres da Silva. Inclui ainda um “Preciso aprender a ser só” de autoria de Marcos Valle e Paulo Sérgio Valle, notabilizado nos anos 60 pela voz de Elis Regina.

Gravado por Amândio Bastos no Saafran Studio, com misturas e masterização de António Pinheiro da Silva, conta com a participação dos músicos, José Manuel Neto (Guitarra Portuguesa), Carlos Manuel Proença (Viola), Daniel Pinto (Baixo Acústico), Ricardo Dias (Acordeão), Gil Gonçalves (Tuba) e Luis Clode (Violoncelo).
A Produção e direcção musical é de Carlos Manuel Proença.

“O AMOR NÃO PODE ESPERAR”

alinhamento

Rua da Esperança-3:01 

Amélia Muge

Participação na tuba de Gil Gonçalves

Preciso aprender a ser só – 4:38

Marcos Valle e Paulo Sérgiø Valle

Participações de Ricardo Dias no Acordeão e Luis Clode no violoncelo

Longe de ti – 2:23

 Tiago Torres da Silva e José Marques

Eu tenho um fraquinho por ti – 4:07 

Fausto Bordalo Dias

Participação de Ricardo Dias no acordeão

Fui a jogo – 3:15

Manuela de Freitas e Casimiro Ramos

O teu perfume – 5:48

Amélia Muge

Olhos Estranhos – 2:47

Hermano Sobral e María Teresa Albuquerque

Estranha Contradição – 3:22

Manuela de Freitas e Frederico de Brito

Sem tirar nem por – 4:05

Amélia Muge e José Nunes

O riso que tu me deste – 2:59

Teresa Tarouca e Georgino de Sousa

Lua Nova – 3:14

Manuela de Freitas e José Fontes Rocha

Novembro – 3:20

Manuela de Freitas e Frederico de Brito

Recordar  – 3:05

Aldina Duarte e José António Sabrosa

Pedro Moutinho

“A maioria dos fadistas conhece-me desde que andava ao colo da minha mãe”. É assim que Pedro Moutinho explica as influências familiares, de quem ouvia e frequentava assiduamente os espaços de fado, ao lado dos pais, junto dos irmãos Camané e Hélder. Naturalmente, Pedro Moutinho começa a cantar aos 8 anos. O seu crescimento enquanto artistas passou por casas de Fado como “Clube de Fado Amália”, “Forte D. Rodrigo” ou o mítico “Café Luso”

Em 2003, chega a estreia discográfica com “Primeiro Fado” que mereceu elogios do público e crítica especializada. Em Novembro desse ano é ainda premiado com o Prémio Revelação da Casa da Imprensa, valendo-lhe o reconhecimento público do seu talento que o define como uma das melhores promessas do Fado.

Hoje, passados 10 anos sobre a edição do primeiro trabalho, Pedro Moutinho é um dos grandes fadistas dos nossos dias. Inúmeros têm sido os espectáculos em Portugal e estrangeiro – já levou a poesia de Fernando Pessoa, Lobo Antunes, Amélia Muge ou Manuel Alegre a países como Holanda, Bélgica, Luxemburgo, França ou à vizinha Espanha. Em 2007 estreou-se em cinema no filme “Fados” de Carlos Saura no ambiente “Casa de Fados” ao lado de D. Vicente da Câmara, Ana Sofia Varela Ricardo Ribeiro e Carminho. Em 2008 foi distinguido com o Prémio Amália Rodrigues para Melhor Álbum.

Diz-se de Pedro Moutinho

“Ele é, talvez, a voz mais discreta dos nossos fadistas. Nunca exagera uma nota, toma todas as mesuras com cada sílaba. Podíamos arriscar que ele é um prodígio técnico, mas o mais certo é ser tudo instinto. “

João Bonifácio no Jornal Público.

“Pedro Moutinho é uma voz segura, com

bom gosto na escolha do repertório, um

estilar elegante, um fraseado inatacável,

uma sobriedade que não merece reparos” João Miguel Tavares na Time Out

“Interpretações Soberbas” Nuno Pacheco, no Jornal Público

Discografia

2013 “O Amor Não Pode Esperar”

2010 “Lisboa Mora Aqui”. O Melhor de Pedro Moutinho

2009 “Um Copo de Sol”

2006 “Encontro”

2003 “Primeiro Fado”

Pagina de Facebook Oficial – www.facebook.com/pedromoutinhofado

Waldemar Bastos com Orquestra Gulbenkian no Misty Fest 1ª parte: Aline Frazão

Centro Cultural de Belém, 16 Novembro, 21H00 | Bilhetes já à venda – Preços: entre 20€ e 40€

Waldemar Bastos é, sem a menor sombra de dúvida, um dos maiores nomes da diáspora musical angolana. No ano que marca o 30º aniversário sobre a sua estreia discográfica, Waldemar regressa a Portugal com um dos seus mais ambiciosos trabalhos, Classics of My Soul.

Com clássicos maiores da história musical angolana –  de «Humbi Humbi Yangue» a «Muxima», «Velha Xica» ou «Pôr do Sol» – Waldemar revisita como só ele sabe a identidade profunda do seu povo, entregando ao mundo mais um exercício de pura beleza num álbum gravado com a London Symphony Orchestra dirigida pelo conceituadíssimo Nick Ingman.

Cabe agora à Orquestra Gulbenkian acompanhar Waldemar Bastos e a honra de prestigiar ao vivo em Portugal esta importante revelação.

A primeira parte deste concerto ficará a cargo de Aline Frazão, a nova e aclamada sensação da música angolana que apresentará  o seu mais recente CD “Movimento”.

Outros nomes já confirmados no Misty Fest:

Danças Ocultas & Dom La Nena: 13 Nov – CCB, Lisboa | comprar

 Scott Matthew : 14 Nov  – CCB , Lisboa | 16 Nov – Casa da Música, Porto  | comprar

Ian McCulloch : 14 Nov – Casa da Música, Porto | 15 de Nov – CCB, Lisboa | comprar

Bilhetes já à venda na Ticketline, lojas FNAC, Worten, salas do espetáculo e locais habituais.

mais informações: 21 441 62 00 | uguru@uguru.net