ANDREA MOTIS

A_Motis-5021-©CarlosPericás

Andrea Motis, com apenas 21 anos de idade, exibe uma musicalidade madura. Isso porque começou a tocar a trompete aos sete anos; Três anos depois, ela começou a estudar jazz, na Escola Municipal de Música de Sant Andreu sob Chamorro, que logo depois a recrutou para a banda, enquanto ela ainda era adolescente. Durante a escola, ela também foi membro do Sant Andreu Jazz Band por nove anos, com a qual gravou oito discos e tocou com músicos tão aclamados como o trombonista Wycliffe Gordon, o saxofonista Jesse Davis, o clarinetista Bobby Gordon e o saxofonista Dick Oatts, entre outros. Além da trompete, Motis toca saxofone alto, mas foi com a banda de Chamorro que começou a cantar. “A trompete sempre será o meu primeiro instrumento”, diz Motis quando perguntado se ela prefere ser cantora ou instrumentista. “Tocar trompete é como meditar; É uma parte da minha vida. Mas não quero ter de escolher apenas um dos meus lados artísticos…”.

Depois de gravar seis álbuns com o baixista Joan Chamorro, a trompetista, cantora e compositora Andrea Motis, ​​faz a sua estreia a solo na editora Impulse! Records com Emotional Dance. Chamorro coproduziu este album com Brian Bacchus e Jay Newland, através da sugestão do sábio diretor de A & R, Jean-Philippe Allard. Sugeriu ainda que Motis aumentasse o pessoal com um punhado de músicos oriundos dos Estados Unidos da América – o vibrafonista Warren Wolf, o acordeonista Gil Goldstein, o saxofonista de barítono Scott Robinson e o percussionista Café Da Silva. Em três músicas apresentam também o famoso saxofonista tenor americano Joel Frahm, que já havia trabalhado com Motis e Chamorro. “Nós convidamos [Joel] para tocar connosco em Barcelona em 2016. Ele foi incrível, que sabíamos logo que o queríamos para este álbum”, diz Motis.

Vídeo

Voltar ao Topo ↑