Cidália Moreira

A voz de Cidália Moreira vem de longe e já muito longe alcançou. A “fadista cigana”, como é conhecida, é sobretudo uma voz intensa, dona de um carisma sem fim e de uma capacidade de entrega invulgar que lhe valeu os favores do público. É, sem dúvida, um dos tesouros nacionais do fado. Mas os tesouros não se devem esconder nem viver apenas nas memórias e por isso, Cidália Moreira prepara-se para regressar com um concerto em que traça o percurso da sua carreira.

“Eu nunca deixei de cantar”, garante a voz de “O Meu Primeiro Amor”, procurando justificar o seu relativo silêncio, “mas há muito que não me apresentava assim em Lisboa”. E Lisboa foi, afinal, a terra que a viu nascer para o fado .Cidália recorda bem esses tempos: Passou pelo Capitólio e pelo Variedades, atraindo muita gente ao Parque Mayer, vizinho afinal da sala que agora se prepara para a voltar a aplaudir. Na revista, Cidália deu voz aos tempos de renovação que se seguiram ao 25 de Abril e cantou temas como “Falta Aqui uma Ceifeira”, “Trabalho Amigo” ou “Os Rios Correm para o Mar”, temas do território do chamado fado-canção, pensados à medida dos palcos onde ia arrancando aplausos, no Parque Mayer. Mas o tema de Frederico Valério, “O Meu Primeiro Amor”, que o povo recorda como “20 Anos”, projectou-a mais longe e deu expressão à saudade. Essa mesma saudade, esse sentimento tão nosso que não se explica, valeu-lhe aplausos internacionais, com apresentações triunfais na Alemanha, França, Espanha, Estados Unidos ou África do Sul.

Mulher de uma enorme força, Cidália confessa a felicidade de poder voltar a pisar os grandes palcos, onde se irá apresentar com a alma intacta, com a sua voz única, levando o fado a passear pelo flamenco e pela memória de uma carreira recheada de sucessos. Todos os temas citados deverão ouvir-se neste espectáculo. E ainda “Amar Amar”, com poema de Florbela espanca, fado que diz afinal o que Cidália faz mais intensamente.

Vídeo

Cidalia Moreira

Voltar ao Topo ↑