HINDI ZAHRA

CatMulti-instrumentista, cantora, actriz e auto didacta, tal é a sua originalidade que quando chega a hora de a situar, apontam-lhe referências tão díspares como Portishead, Manu Chao, Billie Holiday, Patti Smith ou Norah Jones.

Aos quinze anos abandonou a escola em Marrocos, e mudou-se para Paris para viver com o pai. Aos 18 trabalhava no Louvre e escrevia as primeiras canções. “Beautiful Tango” foi o tema que a apresentou ao mundo. Um sucesso tal que deixou claro que esta artista põe uma visão diferente em tudo aquilo que faz.

Handmade, editado em 2010, foi a sua surpreendente estreia que lhe valeu o cobiçado Prix Constantin. No ano seguinte, arrecadou ainda a distinção de Melhor Álbum de World Music nos prémios Victoires de la Musique.

Hindi Zahra, em breve carreira, soube depois coleccionar experiências em palcos por todo o mundo, assinando mais de 400 concertos e vendendo mais de 150 mil discos até ter editado, em 2015, o álbum Homeland, que marca o seu regresso à cultura de Marrocos. O seu Homeland fica situado algures entre Marrakech, montanhas, grutas e o Oceano Atlântico. Um regresso às origens, como um ritual de passagem ao seu próprio interior. Hindi Zahra procurou um som hipnótico acima de qualquer género ou limite.

Em 2016, Hindi Zahra voltou a vencer os prémios Victoires de la Musica para melhor álbum de World Music.

Vídeo

Voltar ao Topo ↑

Territórios

Exclusivo (Portugal)

Voltar ao Topo ↑