NAILOR PROVETA

Antes de aprender as letras do nosso alfabeto, PROVETA já lia as notas musicais. Aos 6 anos de idade, tocava clarinete na banda de Leme-SP, sua cidade natal. Também muito cedo  iniciou sua carreira profissional tocando em bailes no conjunto liderado por seu pai o acordeonista e tecladista Geraldo Azevedo. Estudou saxofone e passou a integrar outras formações musicais da região dentre as quais a Banda do Brejo, da cidade de Valinhos-SP.

Mudou-se para São Paulo e, apenas com dezesseis anos de idade, já era integrante da orquestra do Maestro Sylvio Mazzucca, famosa em todo o Brasil. Em seguida, participou da banda do 150 NIGHT CLUB, no Hotel Maksoud Plaza, badalada casa noturna de São Paulo que apresentava regularmente grandes atrações internacionais. PROVETA teve, então, oportunidades de dividir o palco com renomados artistas, entre os quais Anita O’Day,  Joe Williams, Paquito D’Rivera, Benny Carter, Natalie Cole. Fez diversas turnês pelo Brasil tocando na orquestra de Ray Conniff.

Frequentou cursos de aperfeiçoamento musical e formou os grupos – Banda Aquarius, Sambop Brass e, por último, a Banda Mantiqueira – liderando essas formações e escrevendo a maioria dos arranjos. Já no seu primeiro CD “Aldeia”, a Banda Mantiqueira foi nominada ao Prêmio Grammy, em 1998, na categoria Melhor Performance de Jazz Latino.

É um dos músicos mais requisitados para elaboração de arranjos na área da música popular e também erudita. No campo da música erudita, frequentemente, faz arranjos para a Osesp e para a Orquestra Jazz Sinfônica. Como instrumentista e arranjador atua intensamente nos estúdios de gravação e figura na ficha técnica de centenas de álbuns dos mais consagrados artistas da música popular brasileira. É muito solicitado para ministrar workshops nos principais conservatórios musicais no Brasil.

Pode-se dizer, sem medo de errar, que PROVETA ocupa lugar de destaque na galeria dos principais músicos do Brasil de todos os tempos.

Vídeo

Voltar ao Topo ↑