Nathalie

Nathalie@joão bacelar

Nathalie ainda hoje não sabe explicar se o fado a elegeu ou se foi aquela menina de apenas treze anos de idade que elegeu o fado. O que é perfeitamente claro é que a partir do momento em que foi acompanhada pela primeira vez pela guitarra portuguesa, o fado tomou conta da sua voz e dos seus sentidos, nascendo a fadista que começou imediatamente a dar nas vistas pelo timbre brilhante da sua voz, presença de palco, e o sentimento que transmite ao interpretar os mais diversos temas do fado tradicional, transformando-se rapidamente num caso sério de popularidade, entre as comunidades portuguesas dos Estados Unidos da América.

Nathalie é prova de que o fado já era Património da Humanidade, muito antes de ser reconhecido e declarado pela UNESCO em Novembro de 2011. Decidida, dedicada e lutadora, negou-se à vida serena para viajar de cidade em cidade, levando a ‘canção nacional’ às mais diversas comunidades e etnias espalhadas por todo o território americano.

Na sua trajectória artística conta com um disco gravado intitulado “Corre-me o Fado nas veias”, ao qual foi atribuído o “Prémio Lusíada – Melhor álbum de Fado 2007”, dos Artistas Unidos da América. Recebeu vários prémios e reconhecimentos, entre eles , o “Prémio Lusíada“ e “PALCUS Young Portuguese American Promessa Leadership Award”, considerado como o mais importante prémio de reconhecimento e honroso das comunidades portuguesas a nível nacional (EUA).

No início de 2016, a Sony Music Portugal lançou o seu segundo álbum “Fado Além”, muito aclamado pela crítica. Este álbum, produzido e musicalmente dirigido por Ricardo J. Dias, inclui temas originais escritos e compostos por artistas consagrados, incluíndo Amélia Muge, Vitorino, João Paulo Esteves da Silva ou Mário Cláudio e alternando fados tradicionais com um som evoluído. “Fado Além” foi premiado com 4 estrelas pelo jornal “Expresso”, que descreveu a estreia da Nathalie no mercado português como “uma lufada de ar fresco entre os álbuns de fado produzidos por outros novos artistas”.
A fadista recebeu 5 prémios dos IPMA (International Portuguese Music Awards), atribuídos aos temas ‘Noite Cerrada’, ‘Diário’ e ‘Chapéu Escuro’, detendo até à data o título de artista com o maior número de IPAM’s.

Nathalie prepara-se agora para editar um novo álbum que é igualmente o mais ambicioso registo da sua carreira até agora: ladeada por José Manuel Neto na guitarra portuguesa, Carlos Manuel Proença na viola e Bernardo Moreira no contrabaixo – um trio de absoluto luxo -, Nathalie mostra o fado na sua expressão mais pura, despido de quaisquer desvios à sua essência num olhar para a tradição mais funda que é afinal de contas uma projecção para o futuro. José Mário Branco, que tem sido responsável pela produção de boa parte da discografia de Camané, assegura aqui também a orientação de um álbum que vai certamente marcar o calendário musical português de 2017.

Vídeo

Voltar ao Topo ↑

Disponibilidade

Voltar ao Topo ↑