Laurent Filipe – Concerto Especial no CCB

facebook_LaurentFilipe_1200x1200

CONVIDADOS ESPECIAIS: PEDRO MOUTINHO E RITA REDSHOES

22 de Setembro - Lisboa, Centro Cultural de Belém | Comprar >

 

Instrumentista, cantor, compositor e produtor, Laurent Filipe, possui uma sólida, longa e bastante aclamada carreira nacional e internacional. Este ano regressa ao Centro Cultural de Belém para mais um grande concerto que será marcado pelas suas melhores canções.

Para além dos convidados especiais, em palco o músico será também acompanhado por quatro instrumentistas que têm integrado vários dos seus projectos ao longo da carreira:

Mário Delgado (guitarras)

Bruno Santos (guitarra)

Massimo Cavalli (contrabaixo e baixo eléctrico)

Alexandre Frazão (bateria)

Um concerto surpreendente que não vai querer perder!

Maria Gadú – Nova Data em Portugal

bilheteira_MariaGadu_tavira_1000x1450

2 de Agosto  – Tavira, Parque do Palácio da Galeria |  Comprar >

Maria Gadú regressa a Portugal com o espectáculo “guelã ao vivo”, a interpretação em palco do álbum “Guelã”, nomeado para os Grammys Latinos de 2015 na categoria de melhor álbum da Música Popular Brasileira

“guelã ao vivo”, por Maria Gadú:

Esse registro fecha um ciclo, uma etapa. foi um passo importante pro caminho que quero traçar baseado no que posso aprender, degustar e assim externalizar em palavras e sons. venho me questionando e colocando à prova todo o conhecimento adquirido ao longos dos meus 30 anos. guelã é mutação. o registro serva para explicitar o quanto poderei mudar hoje e amanhã.

Maria Gadú, compositora, cantora e autora de temas que correm o mundo como Shimbalaiê ou “Altar Particular“, é  um dos maiores nomes de referência da Música Brasileira da actualidade.

Ao terceiro álbum, Maria Gadú pode orgulhar-se de ter deixado o plano das promessas e ser hoje uma absoluta certeza no plano dos talentos firmados no Brasil. Guelã, o seu mais recente álbum, é a prova desse talento maior: letras cuidadas, melodias ricas de imaginação, canções que têm garras para se manterem firmes nos nossos ouvidos por muito tempo.

Guelã é um trabalho ambicioso que traduz também as vistas largas de mundo que a cantora foi obtendo depois da estreia em 2009 e do crescimento, dois anos depois, com a edição do seu anterior trabalho, Mais Uma Página. Poder tocar em diferentes países fora do Brasil abriu-a a novas sonoridades e experiências e Guelã é a prova disso mesmo: James Brian, artista canadiano conhecido em Londres, ou Mayra Andrade, cantora cabo-verdiana conhecida em Lisboa, são alguns dos cúmplices nesta íntima viagem apresentada em Guelã. Apesar do tom solitário, talvez estas canções revelem que artistiocamente Maria Gadú abriu as suas asas. Afinal de contas, Guelã significa Gaivota.

Canções como “Vaga” ou “Trovoa” são fundas e mostram como Gadú domina a arte das emoções feitas palavras e melodias. Quando canta, não há quem não acredite que é para si em especial que Maria Gadú está a cantar, talvez por as suas canções conterem tanta vida.

Mais datas confirmadas:

23 de Julho – Oeiras, EDP COOLJAZZ | Comprar >

4 de Agosto – Braga, Theatro Circo | Comprar >

Adriana Queiroz apresenta KW – Kurt Weill em Lisboa

KW_Adrianaqueiroz_banner_1000x1450

O mundo deste concerto vive da diversidade musical de Weill e dessa viagem, ou fuga, que foi a sua vida e obra. Percorre os três países e idiomas que Weill abraçou como seus, não foge à inerente teatralização de que vivem os seus temas, repensa as suas dissonâncias, ilumina a realidade desses temas e das suas histórias recriando no seu mundo a nossa verdade sonora e emocional. Protagonizado pela voz segura e surpreendente de Adriana Queiroz, ancorado nos arranjos de Filipe Raposo , servido na perfeição pelo trabalho de Luís Madureira e pelos figurinos de José António Tenente, ou pelo subtil trabalho de luzes de Helena Gonçalves e Pedro Mendes, KW | Kurt Weill devolve-nos a um tempo o génio musical do compositor e a teatralidade que irrompe do seu trabalho. Concebido como uma viagem por mais de trinta anos de composição e pelos três países onde Kurt Weill viveu a sua vida – com um cometimento e um desejo de conhecimento que o levou, nas palavras de Langston Hughes, a ser um compositor alemão em Berlim, Berlim, francês em Paris e americano em Nova Iorque – KW | Kurt Weill vive efectivamente das memórias teatrais que cada obra transporta consigo. De Ascensão e Queda da Cidade de Mahagony, de 1927, da qual ouvimos o eterno Alabama Song, até Lost in the Stars, de 1949, quando Weill contribuía largamente para o período de ouro do music-hall americano, passando pela Ópera dos Três Vinténs ou por Happy End e pela imortal canção Surabaya Johnny, cada um dos temas transporta consigo um universo que Adriana Queiroz, tão actriz como cantora, tão bailarina como actriz, reinterpreta com intensidade e subtileza, apoiada na ductilidade dos músicos e no dramatismo dos figurinos de José António Tenente. A expressividade e o poder de uma orquestra com mais de vinte elementos, a subtileza com que Adriana Queiroz nos comunica cada canção, quase desenhada numa micro-encenação, o universo apaixonante de Kurt Weill e o seu lirismo corajoso, quase jactante: três argumentos para uma noite perfeita.

José Luís Ferreira

 

16 DE SETEMBRO - Lisboa, Teatro Tivoli BBVA | Comprar

Rodrigo Leão & Scott Matthew – Regressam aos palcos com novo single

SM_RL Foto byMichaelMann 116098322 cortadaA vida continua a sorrir para Rodrigo Leão & Scott Matthew. O aclamado compositor português e o cantor australiano editaram o projecto conjunto “Life Is Long” no final do ano passado e desde então têm recebido os mais rasgados elogios da crítica nacional e internacional e continuam a encantar o público com os seus espectáculos.

Agora, para dar início à época dos festivais e concertos veraneanos, regressam com o novo single “Abandoned”, que será ilustrado em vídeo muito em breve.

Oiça aqui o novo tema >

PRÓXIMAS DATAS 

8 DE JUNHO

Parque da Cidade – Porto, NOS Primavera Sound | Comprar > 

9 DE JUNHO

Sintra, Centro Cultural Olga Cadaval | Comprar > 

18 DE JULHO 

Cartagena – Espanha, Festival La Mar de Músicas | Comprar > 

21 DE JULHO 

Faro, Teatro das Figuras | Comprar > 

26 DE JULHO

Lörrach - Alemanha, Stimmen Festival | Comprar >

Buika – Nova Tour “Para Mi”

img_newsletter_BuikaDescrever Buika como uma artista singular, dona de uma das mais carismáticas vozes da actualidade é apontar apenas o óbvio. Entendê-la como um sinal de um mundo amplo, generoso, de abertura cultural total, de profundas ligações entre pessoas e povos é bem mais interessante.

A singularidade de Buika – dona de uma carreira que se estende no tempo uma boa dúzia de anos e que já rendeu sete maravilhosos discos que receberam todas as distinções, elogios e aplausos que são passíveis de se recolherem na arena internacional do público e da crítica – acaba de render mais um registo extraordinário. Tem por título “Para Mi” e é um EP de cinco incríveis temas onde o flamenco é o tecido que embrulha a extraordinária voz de Buika.

Essas cinco canções vão certamente ouvir-se no palco do Coliseu dos Recreios de Lisboa onde Buika se apresentará em data única a 29 de Setembro. O público português já se habituou a aplaudir de forma efusiva as apresentações de Buika, mas sabe igualmente que cada data sua é uma preciosa oportunidade de escutar de perto uma artista de dimensão mundial.

“Ni Contigo Ni Sin Ti” é um dos temas de destaque deste novo trabalho, uma versão de um clássico maior de Manzanita que é um tesouro do flamenco que Buika reclama numa interpretação arrebatadora. Mas no tema título, “Para Mi”, a artista explora uma toada mais baladeira, profundamente romântica e igualmente apaixonante, outra demonstração da incrível elasticidade da sua voz e das suas capacidades interpretativas rigorosas.

Do flamenco ao jazz e daí à soul ou à reggae, Buika já percorreu muitos caminhos em 12 anos recheados de sucessos e de rendições absolutas, porque não há outra maneira de nos relacionarmos sem ela, do que aplaudindo-a incondicionalmente. Será, certamente, assim, no Coliseu, no arranque do próximo Outono, a 29 de Setembro.

DATA ÚNICA – 29 DE SETEMBRO – Coliseu de Lisboa – COMPRAR

Patxi Andion – Data Extra

AF_expresso_PatxiAndion_115x147_novadata_02
A um dia de pisar o palco do Cento Cultural de Belém com o espectáculo “Zeca no Coração”, anunciamos que o espectáculo de amanhã está esgotado mas que ainda terá uma nova oportunidade de ver ao vivo Patxi Andión em Lisboa no dia 1 de Novembro no Teatro Tivoli BBVA.
Lembramos ainda que antes de Patxi regressar a Espanha, actua a 5 de Junho no Porto e no dia 28 em Évora.
É longa e funda a relação do célebre cantor espanhol Patxi Andión com o nosso país. Remonta a 1969 e passa pelo Zip Zip e pelo enorme José Carlos Ary dos Santos que traduziu algumas das suas canções e as entregou à voz de Tonicha.
Nestas visitas a Portugal, Patxi aprendeu a nossa língua, facto de que se orgulha, e conheceu José Afonso, o “amigo Zeca”, como a ele se refere hoje. Nas canções de protesto de Zeca conheceu melhor o país que se ergueu contra a ditadura. Patxi travou conhecimento com José Afonso nos estúdios da Tóbis onde se gravava o histórico Zip Zip e no mesmo dia foi expulso do país pela PIDE que lhe condenava as amizades e certamente as palavras que traduziam as suas ideias de liberdade.
Esta história justifica o seu novo regresso a Portugal, no ano em que se assinalam três décadas sobre o desaparecimento de José Afonso. Patxi propõe-se reunir amigos, tantos dos quais foram próximos de Zeca Afonso, reunir canções aprendidas na discografia de Zeca Afonso, canções como “Venham mais cinco” ou “Traz Outro Amigo Também”, tão importantes para a nossa história moderna, e celebrar a liberdade a partir dos palcos do CCB, da Casa da Música, Évora e do Teatro Tivoli BBVA. À obra de Zeca juntam-se, obviamente, os momentos mais celebrados da sua própria discografia, canções feitas do mesmo fervor: um amor imenso por uma liberdade total. Canções, como as de Zeca, que também carregam histórias, memórias e uma identidade de um povo.
Diz Patxi que estes concertos não pretendem ser uma homenagem, antes um reconhecimento: “há muito da vida e da obra de Zeca que vive em mim”, garante Patxi Andión. Uma das maiores vozes de Espanha a cantar a obra de um dos maiores génios da canção portuguesa: não é possível pedir mais em ano tão especial.
5 DE JUNHO - PORTO, CASA DA MÚSICA - COMPRAR
28 DE JUNHO - ÉVORA, FEIRA S. JOÃO ’17
1 DE NOVEMBRO - LISBOA, TEATRO TIVOLI BBVA - COMPRAR

Misty Fest – Miguel Poveda actua em Portugal em Novembro

Mupi_MiguelPovedaMiguel Poveda é um tesouro do flamenco contemporâneo, um artista que já mereceu algumas das mais conceituadas distinções atribuídas ao cante, como o cobiçado Prémio Lampara Minera, que conquistou logo aos 20 anos, em 1993. Poveda foi ainda por diversas ocasiões incluído entre os nomeados para os Grammys Latinos, reconhecimento do extraordinário alcance da sua arte.

Do seu vasto currículo contam aplaudidas prestações nos mais prestigiados palcos internacionais, como o Lincoln Center em Nova Iorque, colaborações com os mais importantes nomes do flamenco como Enrique Morente ou participações em filmes de realizadores celebrados como Bigas Luna, Carlos Saura ou Pedro Almodovar.
Miguel Poveda regressa agora a Portugal com o espectáculo Íntimo, uma intensa viagem de duas etapas bem distintas. Na primeira parte, acompanhado pela guitarra de Juan Gomez “Chicuelo”, apresenta-nos uma viagem pelo universo clássico do flamenco nas suas mais variadas vertentes – bulerias, soleas, cantes mineros, tangos de triana e outros modos reflectindo o conteúdo do seu álbum, Artesano, Disco de Ouro em Espanha.
Na segunda parte, o acompanhamento passa para o piano do Maestro Joan Albert Amargós abrindo-se espaço para uma abordagem mais moderna e improvisada ao flamenco, facto que transforma cada uma das apresentações de Miguel Poveda num momento absolutamente único. Poveda editou em 2015 o álbum Sonetos y poemas para la libertad que mereceu nomeação para os Grammys Latinos e o ano passado foi agraciado pela autarquia de Barcelona com o título de Filho Pródigo da Cidade, uma distinção que diz muito da sua importância cultural. Regressa agora a Lisboa, para mais uma noite de magia e encantamento.
Bilhetes à venda a partir de dia 28 de Julho

Misty Fest – André Barros & Myrra Rós

Mupi_Andre_Myra_newsletterO universo nórdico foi sempre uma paixão para André Barros: o seu imaginário poético, a paisagem gelada, a música, claro, ou não tivessem os Sigur Rós conduzido o compositor português até à Islândia para concluir a sua formação técnica. Por isso mesmo, descobrir agora André Barros em palco com a cantora Myrra Rós e o multi-instrumentista Júlíus Óttar Björgvinsson não pode ser uma completa surpresa.

Depois de se revelar ao mundo com a edição em 2013 do álbum Circustances, André Barros começou a viajar com a sua música. As melodias profundamente melancólicas e sofisticadas das suas composições têm um claro apelo global e por isso mesmo as cumplicidades não tardaram a surgir. Soundtracks Vol.I  consolidou o estatuto de revelação de André Barros abrindo-lhe ainda mais portas internacionalmente, com o seu evocativo trabalho musical a provar-se especialmente compatível com narrativas para ecrãs de todos os tamanhos.

Nasce então a ligação a Myrra Rós com quem colaborou em In Between e numa banda sonora para uma curta-metragem norte-americana. Esse foi o ponto de partida para uma colaboração mais próxima e intensa que resulta num espectáculo onde as melodias cinemáticas de Barros e a voz etérea de Rós se cruzam num encantatório todo, com piano, guitarra e percussões a servirem de base para uma voz que promete apaixonar quem a ela lhe dedique atenção. E a envolver tudo isto, evocativas imagens projectadas que tornam a imersão neste universo particular ainda mais mágica.

Bilhetes já disponíveis:

9 DE NOVEMBRO – Teatro José Lúcio da Silva, Leiria. Comprar bilhetes

11 DE NOVEMBRO – Centro Cultural de Belém, Lisboa. Comprar bilhetes

Rui Massena – Edição Internacional

MASSENA7502©rita carmoEdição internacional dos dois álbuns de RUI MASSENA pela Universal Music

Concerto de apresentação em Madrid a 17 de Maio

A música de Rui Massena, bem como o seu óbvio talento, tem cunho universal: como tal, os álbuns SOLO e ENSEMBLE têm alargado o seu amplo apelo a territórios internacionais. Na semana passada estes dois discos foram editados no Brasil e na próxima semana serão lançados em Espanha, em ambos os países pela Universal Música.

A edição conjunta de ambos os títulos no país vizinho justifica a apresentação ao público espanhol no próximo dia 17 de Maio com um concerto no Auditório Conde Duque, em Madrid. 

Depois do enorme sucesso em território nacional ser confirmado com concertos cheios nas mais importantes salas portuguesas – Casa da Música, CCB, Coliseus do Porto e Lisboa – e depois do tema “Valsa” (incluído no alinhamento do álbum ENSEMBLE) merecer inclusão numa compilação da Deutsche Grammophon ao lado de material de nomes de referência no panorama internacional como Ludovico Einaudi ou Oláfur Arnalds, este é mais um passo no caminho da internacionalização da música de Rui Massena. São esperadas edições em novos territórios em breve.

Misty Fest – Primeira Confirmação

Mupi_JamesRhodes_newsletter

James Rhodes colecciona milhões de views e plays nas plataformas de streaming, enche as principais salas de concertos do mundo e merece os títulos de fenómeno e sobrevivente.

O britânico James Rhodes é um dos mais singulares casos de sucesso no exclusivo universo da música erudita e isto porque nada nele se encaixa na ideia tradicional de um pianista clássico. Rhodes não teve uma educação formal até aos 14 anos, apesar de se ter apaixonado pelo Emperor’s Concerto de Bethoven logo aos 7 anos e de se ter então aproximado do instrumento. Aos 18, Rhodes abandonou os estudos e durante mais de uma década não tocou piano.

O músico, que sofreu abusos sexuais de um professor quando ainda era criança, teve que lutar com severos problemas mentais e emocionais durante muito tempo. Mas depois de se reencontrar com o piano, James Rhodes fez o seu primeiro recital público em 2008 e logo a seguir assinou contrato com a Warner Bros. Os cinco álbuns que editou entretanto tornaram-se casos sérios de sucesso, impondo o seu nome na primeira linha da cena internacional de música erudita.

Rhodes, no entanto, é muito mais do que um mero pianista: é um verdadeiro activista cultural em Inglaterra, com vários programas televisivos de sucesso na BBC ou na Sky e Channel 4, incluindo Don’t Stop The Music, a base de uma campanha de angariação de instrumentos para as as escolas primárias públicas. A voz de Rhodes faz ainda ouvir-se na rádio e nos principais jornais britânicos, como o The Guardian.

A reveladora biografia do pianista, Instrumental, só foi publicada depois de um tribunal o ter autorizado, já que a ex-mulher de Rhodes acreditava que a sua turbulenta história pudesse prejudicar os filhos.

Não há outro artista como James Rhodes. E finalmente vai estrear-se agora em Portugal.

Anuncia-se assim o primeiro nome para a 8ª edição do Misty Fest. Mais novidades em breve.

Bilhetes já disponíveis:

13 DE NOVEMBRO – Casa da Música, Porto. Comprar bilhetes

14 DE NOVEMBRO – Centro Cultural de Belém, Lisboa. Comprar bilhetes