DANI DE MORÓN

David Rojas

Daniel López Vicente nasceu em Sevilha, em Setembro de 1981, e viveu na localidade de Morón de la Frontera. Aos doze anos matriculou-se no Conservatório Municipal de Música desta localidade, com a intenção estudar piano, mas acabou foi por estudar guitarra, tendo Morón de la Frontera um povo com uma grande tradição na guitarra flamenca e, até a sua própria “denominação de origem”. Por essa razão quis ter as aulas com Manolo Morilla.
Rapidamente tornou-se um guitarrista formidável.

Toda essa experiência anterior abriu a Dani de Morón o circuito das grandes empresas de dança, lideradas por Antonio Canales e Javier Latorre. Pouco tempo depois, ele recebeu a sua primeira comissão para compor a música do programa Imigração da Companhia de Ángeles Gabaldón, para a qual ele recebeu o elogio unânime das críticas nacionais.

No entanto, o elogio definitivo vem a ele quando ele é solicitado pelo maestro Paco de Lucía, para acompanhá-lo como segundo guitarrista na turnê do álbum “Cositas Buenas”, uma experiência que abriiu uma nova dimensão e catapultá-lo para a primeira linha da guitarra flamenca.

Na gravação de seu primeiro álbum a solo, Dani decidiu unir o seu talento com o guitarrista de Jerez, Alfredo Lagos, para montar um espetáculo de guitarra, “12 Cuerdas”, que foi reconhecido pelos críticos como o melhor concerto de guitarra flamenca do ano de 2011. Concerto que foi apresentado em importantes locais e festivais internacionais, tais como: Auditório Nacional de Música de Madrid, Teatro Central de Sevilha, Festival de Jerez, Teatro Nacional de Hanói (Vietnam), Auditório Nacional de Manila (Filipinas) ou II Bangkok Guitar Festival, entre outros.

Assim, Dani de Morón, abriu definitivamente portas para um palco em que a técnica, harmonia e afinação desempenham um papel tão importante quanto o toque tradicional da corda e o uso abundante do polegar no baixo.

CARMEN LINARES

CarmenLinares_ret_12Carmen Linares conquistou um lugar privilegiado na cultura musical contemporânea em Espanha. Nos anos setenta e oitenta trabalhou em Madrid com artistas da estatura de Enrique Morente, Camarón, Carmen Mora e os irmãos Juan e Pepe Habichuela. Foi assim que tudo começou.

Com a sua voz flamenca tornou-se uma artista de projeção internacional. Carmen Linares interpretou “El Amor Brujo” de Manuel de Falla, dirigido por mestres como Josep Pons, Leo Brower, Frubech de Burgos ou Victor Pablo em locais como Lincoln Center em Nova Iorque, Opera House em Sydney ou Royal Albert Hall em Londres.

Nos últimos vinte anos, Carmen tem-se apresentado em todo o mundo. Destacamos “Open Oasis”, “Ensaio Flamenco”, “Lembranças”, “Encuentro” e “Cu4tro”.
Neles Carmen contou com pessoas como Belén Maya, Jorge Pardo, Gerardo Núñez, Rafaela Carrasco, Tomasito, Juan Carlos Romero, Carles Benavent, Javier Barón, Tino Di Geraldo e Miguel Ángel Cortés entre outros.

Ela cantou poetas universais como Juan Ramón Jiménez, Federico García Lorca, Jorge Luis Borges, Antonio e Manuel Machado, Rafael Alberti e José Angel Valente em canções memoráveis ​​como “Mares y soles”, “Legend of the Time”, “O pombo estava errado”, “Milonga del estranho “, ” Cantares ” e ” Em ritmo “.

Em 2017, ele lança seu álbum “Verso a Verso” homenagem ao poeta Miguel Hernández. Com acompanhamento musical de piano, guitarra, contrabaixo e bateria acham intimidade de voz de Carmen para nos mostrar sua expressão flamenca interpretando essa seleção de versos únicos.

PREMIOS DESTACADOS
– Premio de la Academia de la Música a Toda una Vida (2011)
– Medalla de Oro de las Bellas Artes (2006)
– Premio Nacional de Música (2001)
– Medalla de Plata de la Junta de Andalucía (1998)   

Miguel Poveda

Recital Flamenco 3O cantor de Flamenco mais conceituado da actualidade

Miguel Poveda é um dos mais seguros valores do flamenco contemporâneo, um artista que já mereceu algumas das mais conceituadas distinções atribuídas ao cante, como o cobiçado Prémio Lampara Minera, que conquistou logo aos 20 anos, em 1993. Poveda foi ainda por diversas ocasiões incluído entre os nomeados aos Grammys Latinos, reconhecimento do extraordinário alcance da sua arte. Do seu vasto currículo contam aplaudidas prestações nos mais prestigiados palcos internacionais, como o Lincoln Center em Nova Iorque, colaborações com os mais importantes nomes do flamenco como Enrique Morente ou participações em filmes de realizadores celebrados como Bigas Luna, Carlos Saura ou Pedro Almodovar.

Poveda editou em 2015 o álbum Sonetos y poemas para la libertad que mereceu nomeação para os Grammys Latinos e o ano passado foi agraciado pela autarquia de Barcelona com o título de Filho Pródigo da Cidade, uma distinção que diz muito da sua importância cultural.