CLASSIC WAVES – 1º Ciclo de Música Clássica Moderna

Uguru_newsletter_CW_cartazgeralO Classic Waves está de regresso com algumas alterações.
Serão ao todo 3 concertos duplos, organizados num formato de ciclo, focados no universo musical que actualmente é internacionalmente designado como “Post Classical”, “Neo Classical”, “Modern Classical” ou mesmo “Indie Classical”. Neste género, os compositores contemporâneos usam o piano como elemento central, mas a música de influência clássica envolve-se com sonoridades que tocam a electrónica, a new age ou a música progressiva.
A acontecer em Abril, Maio e Junho, no Teatro Tivoli BBVA em Lisboa.

27 de Abril – Rodrigo Leão Instrumental – O Ensaio + Hauschka – What If
Lisboa, Teatro Tivoli BBVA

24 de Maio – Peter Broderick – All Together Again + Federico Albanese – By The Deep Sea
Lisboa, Teatro Tivoli BBVA

28 de Junho – Rui Massena – Post Classical + Peter Sandberg
Lisboa, Teatro Tivoli BBVA

SOBRE O CLASSIC WAVES
O Classic Waves foca-se no universo musical que actualmente é internacionalmente designado como “Post Classical”, “Neo Classical”, “Modern Classical” ou mesmo “Indie Classical”. Neste género, os compositores contemporâneos usam o piano com o elemento central, mas a música de influência clássica envolve-se com sonoridades que tocam a electrónica, a new age ou a música progressiva.

Anteriormente o Classic Waves apresentou alguns dos maiores nomes deste género musical como Ludovico Einaudi, Wim Mertens ou Michael Nyman e concertos exclusivos de artistas como Rodrigo Leão – com o projecto A Vida Secreta das Máquinas -, Rui Massena, Danças Ocultas & Orquestra Filarmonia das Beiras, Carlos Maria Trindade, o jovem André Barros. Este ano transforma-se num ciclo que acontecerá nos meses de Abril, Maio e Junho com noites de concertos duplos, com cerca de uma hora cada um, e com um bilhete único para ambos os espetáculos.
Esta é uma das áreas mais entusiasmantes do panorama musical internacional, ponto de cruzamento de tradições e de gestos inovadores, onde o passado e o futuro se encontram e os públicos, cada vez mais exigentes, não se coíbem de aplaudir artistas que reinventam territórios e regras a cada novo trabalho.

Este ciclo é a sequência natural do trabalho que a UGURU tem desenvolvido em Portugal nos últimos anos, promovendo concertos de nomes como Ludovico Einaudi, Wim Mertens, Rodrigo Leão, Michael Nyman, Jon Hopkins ou Olafur Arnalds, ajudando portanto a formar um público aberto a propostas estéticas mais desafiantes.

THE SIMON & GARFUNKEL STORY EM PORTUGAL

O mítico espectáculo “The Simon & Garfunkel Story” – o musical itinerante mais visto no mundo e que tem vindo a conquistar o público e a crítica em palcos como a Broadway de Nova Iorque ou o West End de Londres, chega agora a Portugal!

Uma experiência única, repleta de grandes canções que unem todas as gerações!

 siteUGURU_S&G_307x451

CONCERTOS

24 de Maio – Porto, Coliseu – 21h30. Bilhetes

26 de Maio – Lisboa, Teatro Tivoli BBVA – 22h00. Bilhetes

27 de Maio – Lisboa, Teatro Tivoli BBVA – 21h00. Bilhetes

RODRIGO LEÃO CELEBRA 25 ANOS DE CARREIRA

Rod_Leao_Aniversario_1920x1080

2018 é o ano em que Rodrigo Leão comemora os 25 anos de uma bem sucedida carreira a solo e serão muitos e variados os eventos a assinalar esse acontecimento.

As comemorações começam hoje com uma exposição retrospectiva onde serão mostrados diversos materiais importantes, alguns deles inéditos.

Em 2018 haverá discos novos e reedições e ainda 4 espectáculos diferentes que irão subir a palco em várias zonas do país.

CONCERTOS

RODRIGO LEÃO & SCOTT MATTHEW – LIFE IS LONG
Lisboa, CCB  – 22 de Março – Bilhetes
Porto, Casa da Música – 24 de Março – Bilhetes

RODRIGO LEÃO INSTRUMENTAL – O ENSAIO
Lisboa, Classic Waves – Tivoli –  27 de Abril (double bill com Hauschka) – Bilhetes
Braga, Theatro Circo – 28 de Abril (double bill com Hauschka) – Bilhetes brevemente disponíveis.

RODRIGO LEÃO – OS PORTUGUESES
Estoril, Casino Estoril – 15 de Junho – Bilhetes

RODRIGO LEÃO – O ANIVERSÁRIO
Porto, Coliseu Porto – 8 de Novembro – Bilhetes
Lisboa, Coliseu dos Recreios –  9 e 10 de Novembro – Bilhetes

Mais datas a anunciar brevemente

EXPOSIÇÃO

O ANIVERSÁRIO
Lisboa, Espaço Atmosfera M – 7 de Dezembro a 6 de Janeiro
Horário: Segunda a sexta: das 10h00 às 19h00. Sábados: das 11h00 às 17h00
Horário da exibição de filmes e vídeos (excertos de documentários, videoclips e imagens projectadas nos concertos):
Sábados: 16 Dezembro e 6 de Janeiro em 2 sessões: 11h e 15h
Quintas e sextas: 21,22,28 e 29 de Dezembro às 18h

2018 promete ser um ano muito especial para Rodrigo Leão que planeou uma série de iniciativas para assinalar o importante marco de 25 Anos de Carreira a Solo.

O percurso iniciado em nome próprio em 1993 com a edição de Ave Mundi Luminar começará por ser celebrado com uma exposição que traça o percurso do compositor português através de um importante e inédito conjunto de documentos. Através de fotografias, muitas delas nunca antes vistas, cartazes, capas de discos, mas também de videoclips, imagens de concertos ou excertos da série Portugal, Um Retrato Social – para a qual assinou a banda sonora -, Rodrigo Leão, com a inestimável colaboração do realizador Leonardo António, abrirá ao público as portas do seu arquivo pessoal para uma mostra que será reveladora da sua personalidade, da sua atitude perante a arte, do seu percurso artístico.

Esta exposição estará patente no espaço atmosfera m (no nº 5 da Rua Castilho, em Lisboa) entre 7 de Dezembro e 6 de Janeiro.

OS DISCOS E OS ESPETÁCULOS

A grande comemoração dos 25 anos de carreira, sob o genérico O Aniversário, inicia-se com um duplo CD retrospectivo a ser editado em Março, reunindo as principais colaborações de Rodrigo com grandes artistas e nomes estrangeiros e os seus instrumentais mais queridos.
O Aniversário será também espectáculo, com uma produção de palco dirigida ao grande público, contando com uma formação alargada a dez músicos e duas cantoras. O trabalho técnico deste espectáculo será extremamente cuidado, de forma a que a amplificação sonora funcione tanto nos grandes espaços como nas salas mais exigentes, garantindo que cada recanto possa escutar cada pormenor da instrumentação.
O ano de 2018 trará também os últimos concertos da digressão conjunta com o cantor-compositor Scott Matthew. A digressão do álbum resultante da sua parceria, Life Is Long, terminará com actuações em Lisboa e no Porto.

A comemoração dos 25 anos continua com a versão revista e actualizada do concerto Os Portugueses, acompanhando o relançamento de uma das suas bandas-sonoras mais interessantes: Portugal, um Retrato Social, a seminal série televisiva realizada em 2007 por Joana Pontes e António Barreto. A música que Rodrigo compôs para essa série, onde cristalizou a indefinível portugalidade da sua inspiração melódica, vai ser relançada numa edição restaurada com material adicional, sob o título Os Portugueses, e servirá de base a uma produção de palco refeita e retrabalhada.

Rodrigo Leão propõe ainda um novo concerto: Instrumental – O Ensaio, com uma forte componente de projecções video e focado em composições instrumentais ao estilo que nos habituámos a reconhecer como a sua marca pessoal.

A par de material instrumental já conhecido, Rodrigo apresentará em primeira mão algumas das novas composições em que tem trabalhado, ainda em versões integralmente instrumentais. Este concerto será em simultâneo uma apresentação, uma rodagem e um ensaio de peças que farão parte de um novo disco de originais. Este novo trabalho, um dos projectos mais esperados da nova temporada, será lançado até ao final de 2018, e poderá verdadeiramente representar o novo álbum de carreira de Rodrigo, após uma série de trabalhos que nasceram a convite de outros músicos ou foram incursões em terrenos mais alternativos.

Mais notícias serão a seu tempo reveladas. Estas são apenas as primeiras novidades do 25º aniversário de carreira de Rodrigo Leão, um ano em cheio para um dos mais queridos artistas portugueses!

ANDRÉ BARROS NOMEADO PARA OS HOLLYWOOD MUSIC IN MEDIA AWARDS

CSO_8892_1O pianista e compositor português André Barros é um dos nomeados para a edição deste ano dos Hollywood in Music Media Awards, na categoria de estilo musical “”Contemporâneo Clássico / Instrumental”, pelo seu tema “Brisas de Outono” do álbum “In Between”.

 A sonoridade inconfundível de André Barros já lhe valeu também o prémio de “Melhor Banda Sonora” nos Los Angeles Independent Film Festival Awards.

 Poderá assistir a este enorme talento na edição do Misty Fest deste ano onde irá apresentar o novo disco, “Reasons”, um trabalho em colaboração com a cantora e compositora islandesa Myrra Rós, a ser editado brevemente.

 DATAS CONCERTOS 

 9 Novembro – Teatro José Lúcio da Silva, Leiria  [comprar]

10 November – Centro Cultural de Belém, Lisboa [comprar]

11 Novembro – Auditório da Academia de Espinho [comprar]

Laurent Filipe – Concerto Especial no CCB

facebook_LaurentFilipe_1200x1200

CONVIDADOS ESPECIAIS: PEDRO MOUTINHO E RITA REDSHOES

22 de Setembro – Lisboa, Centro Cultural de Belém | Comprar >

 

Instrumentista, cantor, compositor e produtor, Laurent Filipe, possui uma sólida, longa e bastante aclamada carreira nacional e internacional. Este ano regressa ao Centro Cultural de Belém para mais um grande concerto que será marcado pelas suas melhores canções.

Para além dos convidados especiais, em palco o músico será também acompanhado por quatro instrumentistas que têm integrado vários dos seus projectos ao longo da carreira:

Mário Delgado (guitarras)

Bruno Santos (guitarra)

Massimo Cavalli (contrabaixo e baixo eléctrico)

Alexandre Frazão (bateria)

Um concerto surpreendente que não vai querer perder!

Maria Gadú – Nova Data em Portugal

bilheteira_MariaGadu_tavira_1000x1450

2 de Agosto  – Tavira, Parque do Palácio da Galeria |  Comprar >

Maria Gadú regressa a Portugal com o espectáculo “guelã ao vivo”, a interpretação em palco do álbum “Guelã”, nomeado para os Grammys Latinos de 2015 na categoria de melhor álbum da Música Popular Brasileira

“guelã ao vivo”, por Maria Gadú:

Esse registro fecha um ciclo, uma etapa. foi um passo importante pro caminho que quero traçar baseado no que posso aprender, degustar e assim externalizar em palavras e sons. venho me questionando e colocando à prova todo o conhecimento adquirido ao longos dos meus 30 anos. guelã é mutação. o registro serva para explicitar o quanto poderei mudar hoje e amanhã.

Maria Gadú, compositora, cantora e autora de temas que correm o mundo como Shimbalaiê ou “Altar Particular“, é  um dos maiores nomes de referência da Música Brasileira da actualidade.

Ao terceiro álbum, Maria Gadú pode orgulhar-se de ter deixado o plano das promessas e ser hoje uma absoluta certeza no plano dos talentos firmados no Brasil. Guelã, o seu mais recente álbum, é a prova desse talento maior: letras cuidadas, melodias ricas de imaginação, canções que têm garras para se manterem firmes nos nossos ouvidos por muito tempo.

Guelã é um trabalho ambicioso que traduz também as vistas largas de mundo que a cantora foi obtendo depois da estreia em 2009 e do crescimento, dois anos depois, com a edição do seu anterior trabalho, Mais Uma Página. Poder tocar em diferentes países fora do Brasil abriu-a a novas sonoridades e experiências e Guelã é a prova disso mesmo: James Brian, artista canadiano conhecido em Londres, ou Mayra Andrade, cantora cabo-verdiana conhecida em Lisboa, são alguns dos cúmplices nesta íntima viagem apresentada em Guelã. Apesar do tom solitário, talvez estas canções revelem que artistiocamente Maria Gadú abriu as suas asas. Afinal de contas, Guelã significa Gaivota.

Canções como “Vaga” ou “Trovoa” são fundas e mostram como Gadú domina a arte das emoções feitas palavras e melodias. Quando canta, não há quem não acredite que é para si em especial que Maria Gadú está a cantar, talvez por as suas canções conterem tanta vida.

Mais datas confirmadas:

23 de Julho – Oeiras, EDP COOLJAZZ | Comprar >

4 de Agosto – Braga, Theatro Circo | Comprar >

Adriana Queiroz apresenta KW – Kurt Weill em Lisboa

KW_Adrianaqueiroz_banner_1000x1450

O mundo deste concerto vive da diversidade musical de Weill e dessa viagem, ou fuga, que foi a sua vida e obra. Percorre os três países e idiomas que Weill abraçou como seus, não foge à inerente teatralização de que vivem os seus temas, repensa as suas dissonâncias, ilumina a realidade desses temas e das suas histórias recriando no seu mundo a nossa verdade sonora e emocional. Protagonizado pela voz segura e surpreendente de Adriana Queiroz, ancorado nos arranjos de Filipe Raposo , servido na perfeição pelo trabalho de Luís Madureira e pelos figurinos de José António Tenente, ou pelo subtil trabalho de luzes de Helena Gonçalves e Pedro Mendes, KW | Kurt Weill devolve-nos a um tempo o génio musical do compositor e a teatralidade que irrompe do seu trabalho. Concebido como uma viagem por mais de trinta anos de composição e pelos três países onde Kurt Weill viveu a sua vida – com um cometimento e um desejo de conhecimento que o levou, nas palavras de Langston Hughes, a ser um compositor alemão em Berlim, Berlim, francês em Paris e americano em Nova Iorque – KW | Kurt Weill vive efectivamente das memórias teatrais que cada obra transporta consigo. De Ascensão e Queda da Cidade de Mahagony, de 1927, da qual ouvimos o eterno Alabama Song, até Lost in the Stars, de 1949, quando Weill contribuía largamente para o período de ouro do music-hall americano, passando pela Ópera dos Três Vinténs ou por Happy End e pela imortal canção Surabaya Johnny, cada um dos temas transporta consigo um universo que Adriana Queiroz, tão actriz como cantora, tão bailarina como actriz, reinterpreta com intensidade e subtileza, apoiada na ductilidade dos músicos e no dramatismo dos figurinos de José António Tenente. A expressividade e o poder de uma orquestra com mais de vinte elementos, a subtileza com que Adriana Queiroz nos comunica cada canção, quase desenhada numa micro-encenação, o universo apaixonante de Kurt Weill e o seu lirismo corajoso, quase jactante: três argumentos para uma noite perfeita.

José Luís Ferreira

 

16 DE SETEMBRO – Lisboa, Teatro Tivoli BBVA | Comprar

Rodrigo Leão & Scott Matthew – Regressam aos palcos com novo single

SM_RL Foto byMichaelMann 116098322 cortadaA vida continua a sorrir para Rodrigo Leão & Scott Matthew. O aclamado compositor português e o cantor australiano editaram o projecto conjunto “Life Is Long” no final do ano passado e desde então têm recebido os mais rasgados elogios da crítica nacional e internacional e continuam a encantar o público com os seus espectáculos.

Agora, para dar início à época dos festivais e concertos veraneanos, regressam com o novo single “Abandoned”, que será ilustrado em vídeo muito em breve.

Oiça aqui o novo tema >

PRÓXIMAS DATAS 

8 DE JUNHO

Parque da Cidade – Porto, NOS Primavera Sound | Comprar > 

9 DE JUNHO

Sintra, Centro Cultural Olga Cadaval | Comprar > 

18 DE JULHO 

Cartagena – Espanha, Festival La Mar de Músicas | Comprar > 

21 DE JULHO 

Faro, Teatro das Figuras | Comprar > 

26 DE JULHO

Lörrach – Alemanha, Stimmen Festival | Comprar >

Buika – Nova Tour “Para Mi”

img_newsletter_BuikaDescrever Buika como uma artista singular, dona de uma das mais carismáticas vozes da actualidade é apontar apenas o óbvio. Entendê-la como um sinal de um mundo amplo, generoso, de abertura cultural total, de profundas ligações entre pessoas e povos é bem mais interessante.

A singularidade de Buika – dona de uma carreira que se estende no tempo uma boa dúzia de anos e que já rendeu sete maravilhosos discos que receberam todas as distinções, elogios e aplausos que são passíveis de se recolherem na arena internacional do público e da crítica – acaba de render mais um registo extraordinário. Tem por título “Para Mi” e é um EP de cinco incríveis temas onde o flamenco é o tecido que embrulha a extraordinária voz de Buika.

Essas cinco canções vão certamente ouvir-se no palco do Coliseu dos Recreios de Lisboa onde Buika se apresentará em data única a 29 de Setembro. O público português já se habituou a aplaudir de forma efusiva as apresentações de Buika, mas sabe igualmente que cada data sua é uma preciosa oportunidade de escutar de perto uma artista de dimensão mundial.

“Ni Contigo Ni Sin Ti” é um dos temas de destaque deste novo trabalho, uma versão de um clássico maior de Manzanita que é um tesouro do flamenco que Buika reclama numa interpretação arrebatadora. Mas no tema título, “Para Mi”, a artista explora uma toada mais baladeira, profundamente romântica e igualmente apaixonante, outra demonstração da incrível elasticidade da sua voz e das suas capacidades interpretativas rigorosas.

Do flamenco ao jazz e daí à soul ou à reggae, Buika já percorreu muitos caminhos em 12 anos recheados de sucessos e de rendições absolutas, porque não há outra maneira de nos relacionarmos sem ela, do que aplaudindo-a incondicionalmente. Será, certamente, assim, no Coliseu, no arranque do próximo Outono, a 29 de Setembro.

DATA ÚNICA – 29 DE SETEMBRO – Coliseu de Lisboa – COMPRAR

Patxi Andion – Data Extra

AF_expresso_PatxiAndion_115x147_novadata_02
A um dia de pisar o palco do Cento Cultural de Belém com o espectáculo “Zeca no Coração”, anunciamos que o espectáculo de amanhã está esgotado mas que ainda terá uma nova oportunidade de ver ao vivo Patxi Andión em Lisboa no dia 1 de Novembro no Teatro Tivoli BBVA.
Lembramos ainda que antes de Patxi regressar a Espanha, actua a 5 de Junho no Porto e no dia 28 em Évora.
É longa e funda a relação do célebre cantor espanhol Patxi Andión com o nosso país. Remonta a 1969 e passa pelo Zip Zip e pelo enorme José Carlos Ary dos Santos que traduziu algumas das suas canções e as entregou à voz de Tonicha.
Nestas visitas a Portugal, Patxi aprendeu a nossa língua, facto de que se orgulha, e conheceu José Afonso, o “amigo Zeca”, como a ele se refere hoje. Nas canções de protesto de Zeca conheceu melhor o país que se ergueu contra a ditadura. Patxi travou conhecimento com José Afonso nos estúdios da Tóbis onde se gravava o histórico Zip Zip e no mesmo dia foi expulso do país pela PIDE que lhe condenava as amizades e certamente as palavras que traduziam as suas ideias de liberdade.
Esta história justifica o seu novo regresso a Portugal, no ano em que se assinalam três décadas sobre o desaparecimento de José Afonso. Patxi propõe-se reunir amigos, tantos dos quais foram próximos de Zeca Afonso, reunir canções aprendidas na discografia de Zeca Afonso, canções como “Venham mais cinco” ou “Traz Outro Amigo Também”, tão importantes para a nossa história moderna, e celebrar a liberdade a partir dos palcos do CCB, da Casa da Música, Évora e do Teatro Tivoli BBVA. À obra de Zeca juntam-se, obviamente, os momentos mais celebrados da sua própria discografia, canções feitas do mesmo fervor: um amor imenso por uma liberdade total. Canções, como as de Zeca, que também carregam histórias, memórias e uma identidade de um povo.
Diz Patxi que estes concertos não pretendem ser uma homenagem, antes um reconhecimento: “há muito da vida e da obra de Zeca que vive em mim”, garante Patxi Andión. Uma das maiores vozes de Espanha a cantar a obra de um dos maiores génios da canção portuguesa: não é possível pedir mais em ano tão especial.
5 DE JUNHO – PORTO, CASA DA MÚSICA – COMPRAR
28 DE JUNHO – ÉVORA, FEIRA S. JOÃO ’17
1 DE NOVEMBRO – LISBOA, TEATRO TIVOLI BBVA – COMPRAR