Maria Mendes : Misty Fest

O jazz e o fado partilham, antes de mais, a noite, alguns estados de alma e uma certa solenidade. Maria Mendes entende isso. A cantora portuense prepara-se para lançar um novo álbum, que será o seu terceiro, em que conta com o produtor e pianista americano John Beasley e com os préstimos da maior orquestra sinfónica de jazz do mundo, detentora de 3 Grammys, a Metropole Orkest.

Partindo de um reportório especial escolhido sobretudo entre alguns clássicos maiores de Amália Rodrigues (“Tudo Isto é Fado”, “Foi Deus”, “Asas Fechadas” ou “Barco Negro”), mas também de Carlos Paredes (“Movimento Perpétuo”, “Verdes Anos”) e ainda Mariza (“Há Uma Música do Povo”) ou Mafalda Arnauth (“E Se Não For Fado”), Maria Mendes junta ao alinhamento um par de originais da sua lavra e uma canção que lhe foi oferecida por Hermeto Pascoal, verdadeiro gigante da música brasileira que um dia Miles Davis descreveu como “o músico mais impressionante do mundo”.

Será este o ponto principal da viagem que Maria Mendes assinará no Misty Fest, acompanhada de um trio que lidera com alma, estilo e saber, tal como fez no seu álbum. Maria Mendes não tem apenas visão, tem igualmente os mais calorosos elogios de grandes nomes da música, como Quincy Jones que no Festival de Jazz de Montreux exclamou: ““Vejo um futuro brilhante e promissor para esta jovem cantora”. A crítica europeia está de acordo e tem apontado Maria Mendes como uma das mais sólidas promessas musicais do nosso continente.

A cantora trará ao Misty uma ampla experiência recolhida nalguns dos mais prestigiados palcos do mundo, como o Blue Note Club de Nova Iorque ou o North Sea Jazz Festival, e promete aprofundar as ligações entre as duas culturas que a definem neste momento, a do jazz e a do fado.

Formação:

Maria Mendes – Voz

Karel Boehlee – piano

Jasper Somsen – Contrabaixo

Jas Van Hulten – Bateria