Rui Massena ao vivo nos Coliseus

Rui Massena apresenta Ensemble ao vivo nos Coliseus
Coliseu dos Recreios – 2 de Dezembro
Coliseu do Porto – 7 de Dezembro
Bilhetes à venda a partir de dia 6 de Junho na Ticketline, Bilheteira Online, lojas Worten, FNAC e locais habituais

 

Por esta altura já não é descabido usar o termo “fenómeno” para descrever o que se tem passado com Rui Massena e a sua música: Ensemble, o mais recente projecto deste compositor que se tem igualmente afirmado como pianista, chegou ao primeiro lugar do Top de Vendas nacional, liderou a tabela de vendas da FNAC e motivou salas cheias na Casa da Música e no Centro Cultural de Belém, com o artista a ser premiado no final por entusiásticas ovações. Um feito absolutamente inédito para um registo vindo da área correntemente designada por “Modern Classical”.
Agora Rui Massena prepara-se para subir a fasquia com apresentações que se adivinham históricas no Coliseu dos Recreios a 2 de Dezembro e Coliseu do Porto a 7 do mesmo mês. Duas apresentações, acompanhado pela sua orquestra de cordas,  em salas icónicas que não costumam receber com frequência este tipo de propostas musicais. Mas o sucesso dos álbuns Solo e agora Ensemble mais do que justifica estas apostas: os triunfos de palco deste artista de excepção, cuja música parece despertar as mais profundas emoções no seu público, têm sido inequívocos e demonstrado que existe uma ligação muito forte e especial entre esta música e a sua audiência. Será dessa força, dessa ligação singular, que estes dois concertos irão viver, com momentos de beleza absoluta a pontuarem dois concertos que se adivinham imperdíveis.

Tuxedomoon em Portugal

TUXEDOMOON
HALF-MUTE TOUR 2016 EM PORTUGAL
36 anos depois da edição do disco de estreia “Half-Mute” – que lhes fez subir ao estatuto de visionários do cenário pop alternativo – os Tuxedomoon regressam com nova formação e revisitam o icónico álbum através de uma tour europeia exclusiva que passa por Portugal!

6 de Junho – Teatro Tivoli BBVA
Preço: Entre 20 e 30 euros | Ticketline
Bilhetes já à venda na Ticketline, bilheteira do Teatro Tivoli BBVA, Lojas FNAC, Worten e locais habituais.
Os Tuxedomoon, banda de São Francisco de Blaine L. Reininger, Steven Brown e Peter Principle, são uma das mais reverenciadas bandas da cena alternativa que surgiu após a explosão do punk no final dos anos 70. Os Tuxedomoon conseguiram um assinalável êxito na Europa, continente onde a sua música ecoou sempre de forma especial ao longo dos anos. O grupo acumulou uma séria discografia que é uma das mais fortes referências no universo pós-punk, a começar logo com a estreia em 1980 com Half-Mute, disco que é hoje encarado como um clássico maior.
O trio nuclear dos Tuxedomoon – Reininger, Principle e Brown – voltou a reunir-se em 2016 e juntou esforços com Luc van Lieshout e Bruce Gedulgig para apresentar ao vivo o material original de Half-Mute, uma mescla experimental que à época o próprio grupo descreveu como “cabaret no wave”. Em 1980, Glenn O’Brien descrevia o som dos Tuxedomoon nas páginas da Interview de Andy Warhol como “maravilhoso, barroco, uma dança serpenteante através do espaço”. O som dos Tuxedomoon, que misturou sempre electrónica e instrumentos clássicos, como o violino de Blaine Reininger, abraçou sempre muitas referências, do punk à música erudita do século XX, da música de cinema ou cabaré, até às sonoridades do Oriente. É essa riqueza que agora trazem a Portugal, num singular espectáculo evocativo de uma estreia que ocorreu há 36 anos mas que pela sua singularidade bem poderia ter acontecido ontem.
Publicado em Sem categoria

Misty Fest – Rodrigo Leão & Scott Matthew

Rodrigo Leão e Scott Matthew apresentam projecto conjunto no Misty Fest
Rodrigo Leão e Scott Matthew cruzaram-se de novo em estúdio, mas desta vez a colaboração para uma provável canção, resulta num álbum de originais com estreia agendada para o Coliseu do Porto, no festival de Novembro – Misty Fest.
Um compositor português com os olhos postos no mundo, um canto-autor australiano com vivências em Nova Iorque. Mundos separados, ainda assim tão quimicamente sintonizados. Silenciosamente, foram “negociando” melodias e palavras, durante 2016 e dessa troca de ideias nasce o álbum colaborativo a editar no final do ano, de nome “Life is long”.
Aqueles que viram o australiano e o português em palco sabem o quão ricos esses encontros podem ser; como voz grave e doce do australiano se entrelaça nas melodias e orquestrações encantadoras de Rodrigo, recriando-se em momentos unidos pela perfeição.
Rodrigo conheceu Scott Matthew em 2011, quando este aceitou o seu convite para participar no álbum “A Montanha Mágica”. O songwriter emprestou a sua suave, melancólica e inimitável voz ao tema “Terrible Dawn”, abrindo assim caminho para a sua participação em alguns shows e trabalhos de estúdio com o português.
Rodrigo sempre foi um colaborador ávido, tendo trabalhado com diversas vozes do panorama musical internacional como, Beth Gibbons (Portishead), as cantoras brasileiras Adriana Calcanhottto e Rosa Passos, Stuart Staples dos Tindersticks, Neil Hannon, o homem dos Divine Comedy, e os portugueses Camané e Sónia Tavares (Gift) entre tantos outros.
Esta é uma mais grande notícia que nos orgulha anunciar para o Misty Fest. No próximo dia 1 de Junho mais nomes para o cartaz serão anunciados.
MISTY FEST
Festival de carácter diferenciado e único, em época de sweet november, com ampla e qualificada programação que explora dimensões menos exploradas noutros festivais, e se retrata por várias cidades do nosso país.
Em 2016, o Misty Fest continuará a privilegiar na substância a palavra, a actualidade musical, o novo, mas também o mesmo desafio-convite aos músicos para apresentação nestes espectáculos de algo com carácter inédito, único e por isso imperdível.
Como nos anos anteriores, ambientes sonoros de songwriters, das músicas do mundo, do jazz, em ângulos e padrões diferenciados daqueles que habitualmente passam pelas salas e festivais do nosso País, marcarão presença nesta edição.
Porque sabemos que quem ama a música, não vive só em Lisboa e Porto, as melhores salas do país são eleitas tendo em conta a capacidade para dar a artistas e público as melhores condições de som e conforto, para a apreciar ao vivo os espectáculos que irão acontecer entre os dias 1 e 13 de Novembro.
As cidades eleitas para o festival em 2016 são: Lisboa, Porto, Braga, Espinho, Coimbra, e as novidades Leiria, Torres Novas e Évora. Algumas novidades poderão ainda surgir.
Fique atento às grandes experiências Misty propostas para 2016, ainda mais perto de si.
Ser Misty é acreditar que há espaço para fazer a diferença com dimensão e relevância.
Publicado em Sem categoria

Verão no Parque regressa a Cascais

SONHO DE UMA NOITE DE VERÃO NO PARQUE
 A partir de 1 de Julho os fins de tarde no parque de Palmela em Cascais, tem mais sonho e encanto, apresentando 4 sessões concerto, que entrelaçam sonoridades do mundo da música clássica, clássica-pop e jazz, para quem o visitar.
O Verão no Parque, está de volta em ambiente descontraído, numa perfeita harmonia com a natureza e qualidade de sonora, não só pelas condições de acústica e conforto do parque mas muito pelos nomes que a organização se propôs a colocar em cartaz para esta 3ª edição.
Noites-concerto no auditório ao ar livre Fernando Lopes Graça, com uma plateia para 900 lugares sentados.
Dia 1 julho – Rodrigo Leão apresenta: “Florestas Submersas”
Uma viagem pelo conceito da exposição “Florestas Submersas by Takashi Amano”, que resulta numa fusão perfeita entre a arte e a natureza, uma experiência de relaxamento, quietude e simplicidade, com espaço para visitar os maiores êxitos da carreira do compositor. Magia é pouco para o que esta noite promete.
Dia 8 julho – Laurent Filipe apresenta: “As (Im)prováveis” com os convidados especiais Carmen Souza e Théo Pascal
O multifacetado trompetista, musicólogo, compositor e produtor, mas também actor, apresenta as canções (im)prováveis, um best off dos seus melhores êxitos em inglês, português, francês, italiano e espanhol, com uma formação jazz de luxo. Assim o improvável, torna-se imperdível.
Dia 30 julho –  Stefano Bollani apresenta: “Piano solo”
Um dos mais respeitados compositores de Itália, um pianista virtuoso de reconhecimento mundial com inúmeros prémios e distinções. Neste espectáculo ao piano, o momento e o espaço envolvente serão ponto de partida para uma noite, sem alinhamento definido. Um espectáculo que guardará memorias.

Dia 13 agosto  – Richard Galliano & Syilvain Luc
 apresentam: “La a vie en rose” um tributo a Edith Piaf e Gus Viseur
Quando dois dos maiores virtuosos mundiais, do acordeão e guitarra encontram a música de uma das maiores divas de sempre da canção mundial, o resultado só pode ser impressionante. Concertos de sabor assim, guardam-se para sempre no coração.
PARQUE DE PALMELA
Situa-se na fronteira entre Cascais e Estoril, junto à marginal e foi mandado erguer pelos Duques de Palmela por volta de 1870, onde a própria Duquesa, mulher com grande interesse pelas artes plásticas, fez questão de acompanhar as obras de forma a que o parque espelhasse, no todo, o seu gosto. Com um amplo espaço, grandes árvores e regado por uma linha de água – a Ribeira dos Boqueiros – naquela época o Parque foi palco de muitos espectáculos e festas.
Verão no Parque, uma experiência única em ambiente exclusivo. Haverá melhor proposta para final de tarde, noite de sonho de Verão?
Publicado em Sem categoria

Misty Fest – Mais 5 nomes para a 7ª Edição

Desvendam-se mais 5 nomes da 7ª Edição do Misty Fest
Um ilusionista saído de um conto teatral de Borges; um experimentalista em estilo clássico-pop minimal; um misturador de jazz moderno com palavra hip-hop; outro vanguardista do jazz electrónico que traz ao momento o mais improvável; uma bela de voz espiritual e quente capaz de dar maior união poética às palavras de suas casas-mãe “sodade” e saudade. Em todos eles o denominador comum – álbum novo a estrear na 7ª edição do Misty.
Depois da apresentação de um song writer para a sessão de abertura, na linha das apresentações do ano passado, também nesta 7ª edição haverá espaço, para 5 nomes ricos em sabores do outro mundo do jazz, com ângulos e padrões diferenciados daqueles que habitualmente passam pelas salas e festivais do nosso País.
Argentina – Daniel Melingo: poeta e multi-instrumentista, do saxofone, guitarra e clarinete, com uma carreira no teatro, músico de rock com incursões no punk, é hoje um dos nomes maiores do tango e milonga. Os seus espectáculos são cénicos e intensos, incapazes de deixar indiferente quem assiste. Para a edição do Misty traz um novo álbum “Anda”, onde o tango renasce , sob forma de ficção neo-rock arty, como numa galeria de personagens que caracterizam Erik Satie e Serge Gainsbourg. No álbum de Rodrigo Leão “A Mãe” interpretou o tema “no sè nada”, letra de sua autoria.
Bélgica – Wim Mertens: o pianista, contratenor e guitarrista, cantor do fértil território modern classical, uma referência mundial, que já compôs para cinema, teatro e passagens de moda da prestigiada casa Dior. Um compositor que possui uma tão vasta quanto rica discografia, recheada de prémios, aplausos e distinções. Para esta edição trará Dust of Truths, o momento final, triunfal da trilogia, Cran aux Oeufs, apresentados na edição do Misty do ano passado. Uma boa razão para voltar.
América – José James: uma das mais celebradas vozes da nova geração, um intérprete de expressão musical com alma de Nova Iorque, que combina jazz, soul, drum’n’bass com a palavra falada. Desta fusão resulta a marca própria da sua vocalização jazzística. Nesta edição apresenta um novo álbum, também com selo da prestigiada editora Blue Note, projecto sucessor da aclamada homenagem a Billie Holiday. Um álbum retrato destes agitados tempos, que encerra a pergunta: “qual o valor do amor?”.
Itália – Enrico Rava: um dos gigantes do jazz italiano, consagrado trompetista de longa carreira com arranque nos anos 60, época em que trabalhou com o mundialmente famoso Gato Barbieri. Trabalhou ainda com Pat Metheny, Michel Petrucciani, John Abercrombie, Joe Henderson, Richard Galliano, Miroslav Vitous, Andrea Centazzo, Joe Lovano, Gil Evans e Cecil Taylor. Nesta edição, apresentará – Tribe – um projecto de originais com a participação solista Gianluca Petrella. Incomparável.
África (Cabo-verde) – Carmen Souza: nasceu em Lisboa e cresceu em ambiente de linguagem mista – português e crioulo. Será na reta final da Tour Epistola, que se apresentará no Misty, com line-up especial e temas do novo álbum. Numa experiência conduzida por paisagens da lusofonia, do crioulo e do jazz orgânico. Este espectáculo será mais um momento de renovação e re-invenção musical que não deve perder.
Celebrar esta experiência multi-mundial é o melhor passaporte para descobrir a programação do Misty 2016, que continuaremos a desvendar no próximo dia 25 de Maio.
Informações Misty Fest:
Festival de carácter diferenciado e único, em época de sweet november, com ampla e qualificada programação que explora dimensões menos exploradas noutros festivais, que se retrata por várias cidades do nosso país.
Em 2016, o Misty continua a privilegiar na substância a palavra, actualidade musical, o novo, mas também o mesmo convite aos músicos para apresentação nestes espectáculos algo de carácter inédito ou único.
As cidades eleitas para o festival em 2016 são: Lisboa, Porto, Braga, Espinho, Coimbra, Figueira da Foz, e as novidades Leiria, Torres Novas e Évora.
Porque sabemos que quem ama a música que apresentamos não vive só em Lisboa e Porto, as melhores salas do país são eleitas tendo em conta a capacidade para dar a artistas e público as melhores condições para a apreciar ao vivo, entre os dias 1 e 13 de Novembro.
Ser Misty é acreditar que há espaço para fazer a diferença com dimensão e relevância. 
Publicado em Sem categoria

Teresa Salgueiro apresenta novo álbum ao vivo

Teresa Salgueiro apresenta novo álbum ao vivo
8 de Outubro – Casa da Música
9 de Outubro – Centro Cultural de Belém
Bilhetes à venda na Ticketline, Bilheteira Online, Lojas FNAC e Worten, locais do espetáculo e locais habituais.
Teresa-Salgueiro-banner
Não é exagero classificar a voz de Teresa Salgueiro como um dos tesouros imateriais da cultura portuguesa contemporânea: o seu percurso de três décadas, iniciado com os Madredeus em 1986, e prosseguido, a partir de 2007, em nome próprio, garantiu-lhe sólido reconhecimento internacional e um carinho muito especial por parte do público português que se habituou a encontrar na sua voz uma das mais belas marcas da sua própria identidade.
Depois de múltiplos projetos em que colaborou com diversos artistas e explorou um vasto leque de influências, Teresa Salgueiro inaugura uma nova faceta ao produzir o seu primeiro álbum autoral O Mistérioem que assina a escrita da música e das letras. Com este disco, realizou uma viagem ininterrupta durante 4 anos, revisitando as maiores salas de espetáculos do Mundo.
O Horizonte, o seu novo álbum, composto por material inteiramente original, será o mote para as suas apresentações na Casa da Música, Porto, e no Centro Cultural de Belém, Lisboa. Neste novo espetáculo Teresa Salgueiro assume-se como criadora de ambientes mágicos de uma beleza indiscutível e revela a singular multiplicidade das suas facetas artísticas, ao interpretar os seus arranjos originais para canções portuguesas, temas do seu repertório de autora, sem esquecer a homenagem ao seu antigo grupo, em canções que todos sentimos de forma muito próxima.
Comprar bilhete:
Publicado em Sem categoria

MISTY FEST – CONCERTO DE ABERTURA

Desvenda-se o mistério, Piers Faccini abre a 7ª Edição do Misty Fest
Mupi_misty_Piers_Faccini
Cantor, artista plástico e compositor, Piers Faccini está de volta a Portugal pela terceira vez, com um novo álbum a estrear em Outubro, para primeira apresentação no Misty Fest, na sala multidisciplinar do Cinema São Jorge.
À semelhança do ano passado, mais uma vez o Misty oferece a 1ª sessão a um songwriter, este Piers Faccini, filho de pai italiano, mãe inglesa com vivências de juventude em França; um artista cujos ambientes sonoros, se retratam em formas de cruzar e esbater fronteiras pelos universos das palavras-sons que produz, como mapas que estendem pelo lado mouro Inglês, às dunas do Saara até às planícies do Mediterrâneo.
Como quando assistimos a um filme, viajar é o exercício de aura musical que Faccini nos propõe, seja apenas aos sons-ambientes da sua fiel guitarra, como nos formatos de duo ou trio, que o tem acompanhado nos últimos meses. Quem já viu e ouviu Piers Faccini em palco sabe que nos proporciona um reportório de sabores transe, honestos e naturais, reduzidos ao essencial, como algo que se move e nos move numa dicotomia entre o íntimo e o emotivo.
Desde que se aventurou a solo na cena musical, conta seis álbuns aclamados pelo público – Leave No Trace (2004), Tearing Sky (2006), Two Grains of Sand (2009), My Wilderness (2011) Between Dogs & Wolves (2013) and Songs Of Time Lost (2014) – Faccini correu mundo e quebrou fronteiras sua música. Destas viagens coleccionou colaborações com inúmeros músicos e canto-autores como; Ballaké Sissoko, Vincent Segal, Ben Harper, Rokia Traore, Patrick Watson e Ibrahim Maalouf entre outros.
Assistir a esta experiência é o passaporte para entrar melhor na programação proposta para o Misty 2016, que continuaremos a desvendar na próxima quarta-feira.
Notas à imprensa:
NPR Top 10 World Music álbuns de 2014
Songlines Top 10 álbuns de 2014
Telerama, França : Between Dogs & Wolves – top 5 melhores álbuns Rock/Folk
Rolling Stone, França : Top álbuns 2013
RTBF, Belgica : 5º no top 30 melhores álbuns 2013
Moby Dick, Rai 2, Italy: Melhores álbuns de 2013
Informações genéricas Misty:
Mais uma vez privilegiando uma oferta de âmbito nacional, o Misty Fest – festival de carácter diferenciado e único – com uma programação que sempre explora dimensões menos exploradas dos outros festivais, anuncia a lista de cidades por onde a festa se expressará este ano.
Em 2016, o Misty continuará a privilegiar na substância a palavra, actualidade musical, o novo, mas também o mesmo convite aos músicos para apresentação de espectáculos de carácter inédito ou único.
Cidades eleitas que serão “casa” deste festival de Outono 2016: Lisboa, Porto, Braga, Espinho, Coimbra, Figueira da Foz, e as novidades Leiria, Torres Novas e Évora.
Porque sabemos que quem ama a música que apresentamos, não vive só em Lisboa e Porto, mais uma vez as melhores salas do país são escolhidas tendo em conta a capacidade para dar a artistas e público as melhores condições para a apreciar ao vivo, entre os dias 1 e 13 de Novembro.
Ser Misty é acreditar que há espaço para fazer a diferença com dimensão e relevância. 

Extrait Piers Faccini – Mezzo Voce 7 – “If I” from Mareterraniu Productions on Vimeo.