RÃO KYAO – “Respeito Pela Natureza” é o primeiro single do novo álbum

Rão Kyao regressa às edições discográficas com o álbum Gandhi – Um Português Homenageia Gandhi, com edição agendada para maio.
“Respeito Pela Natureza” é o primeiro single e está disponível a partir de hoje.
Humanista, ambientalista, homem da espiritualidade, olhando para o local, mas também para o global. Se existe altura em que necessitamos desses valores é hoje. A atenção pelos seres humanos e natureza. Saber olhar para dentro e para o que nos rodeia. O líder indiano Mahatma Gandhi (1869-1948), era isso. “Estava à frente do tempo. Continua um futurista. A sua filosofia é aquilo que precisamos para este tempo”, di-lo Rão Kyao.
A música do compositor e flautista português também tem sido isso. Música que respira tanto universalidade como portugalidade, convite para mergulharmos em nós próprios para estarmos mais atentos aos outros e ao que nos circunda. É desta síntese que nasce “Respeito pela Natureza”, primeiro single do novo álbum, que homenageia a figura e o pensamento de Gandhi por altura das celebrações dos 150 anos do seu nascimento.
O álbum chama-se Gandhi – Um Português Homenageia Gandhi, vincando a ideia que é uma interpretação de tons portugueses de Gandhi, e sairá em maio. Mas antes existe uma história para contar. O projeto começou como desafio. As entidades oficiais da Índia lançaram um convite a 124 países para cada um deles escolher um músico que recriasse Vaishnav Jan to Tene Kahiye, o tema que Gandhi mais ouvia e que se foi transformando numa espécie de hino não oficial da nação indiana.
“Foi então que a embaixada da Índia me contactou para conceber uma versão desse tema, a partir do facto de ter estudado lá dez anos e da minha música ter influências indianas”, afirma Rão Kyao, que depois de ter finalizado a recriação, obteve uma reação imediata que não deixa de ser inesperada. A interpretação de Rão Kyao com este tema teve um impacto surpreendente sendo que o PM Indiano, Narendra Modi, o referenciou e publicou em todas as suas redes sociais.

Rão Kyao é o novo artista no catálogo da UGURU

A Uguru orgulha-se de poder iniciar uma nova colaboração com Rão Kyao em 2021

“A carreira de Rão Kyao é uma das mais ricas e extensas da música portuguesa: Rão vê o mundo como poucos, dialoga com muitas culturas, de África ao Brasil, da China à Índia, da América a Espanha, procurando sempre usar a alma portuguesa que tão bem traduz com o seu sopro singular como ponte para a aproximação com outros povos, outras línguas e outras experiências. Nenhum outro músico português o faz desta forma, com esta intensidade e com tamanho reconhecimento.”<Rão Kyao junta-se à UGURU que passará a ser a agência responsável pela marcação e administração dos seus espetáculos, quer os que atualmente tem em digressão, quer o do novo projeto Gandhi “um português homenageia Gandhi” que será editado em disco mundialmente em maio deste ano e cuja tournée nacional e internacional terá inicio em 2022. A Uguru assegurará ainda a gestão de carreira deste novo projeto.
António Cunha, diretor geral da Uguru já tinha gerido a carreira do artista, quando ainda ocupava a mesma função na extinta União Lisboa. Juntos desenvolveram os projetos Junção (Farol Música 1999 – com a Orquestra Chinesa de Macau), Fado Virado a Nascente (Universal 2001), disco com a participação da fadista Deolinda Bernardo na voz, um coletivo de músicos marroquinos e colaborações de Teresa Salgueiro e Pedro Ayres de Magalhães, dos Madredeus. Já nos primeiros anos da UGURU, trabalharam o disco e digressão Porto Alto (Uguru 2004), projeto com a participação do espanhol Gerardo Núñez um dos mais reconhecidos guitarristas de flamenco da atualidade.

LLOYD COLE Adiamento dos concertos em Portugal para 2022

Informamos que, apesar de todos os esforços para a realização dos concertos de Lloyd Cole em 2021, vemo-nos obrigados a adiar estes eventos para o próximo ano. A situação pandémica que vivemos atualmente traz a todos uma grande incerteza sobre como irão decorrer os próximos meses, nomeadamente no que se refere a questões relativas à realização de espetáculos.
Agradecemos a vossa paciência e solidariedade, já que neste momento, as condições básicas para a vinda do artista ao nosso país e para a concretização dos concertos em Abril de 2021 não estão reunidas.

Adiamento dos concertos de nancy vieira no museu do oriente – Misty fest

Informamos que devido às regras do novo estado de emergência que proíbe a circulação na via pública ao fim de semana a partir das 13:00, os concertos de Nancy Vieira agendados para o dia 22 de novembro de 2020, no Museu do Oriente, foram adiadoa para o dia 14 de novembro de 2021, na mesma sala e às mesmas horas (17:00 H  e 21:00 H).
O bilhetes para estes concertos são válidos para a nova data.
Pedimos desculpa por qualquer transtorno que esta situação possa causar, mas estamos a fazer os possíveis para que os fãs dos nossos artistas possam desfrutar dos concertos nas melhores condições e sempre em segurança.

adiamento concertos de joep beving

A UGURU informa que os concertos de Joep Beving, agendados para a edição de 2020 do Misty Fest estão adiados para 2021.

 

  • Espinho: Auditório de Espinho – Academia – 20 de novembro de 2021
  • Lisboa, Museu do Oriente – 21 de novembro de 2021

 

As razões do adiamento prendem-se com os condicionamentos causados pelas novas regras relativas à pandemia COVID 19, quer em Portugal, quer no país de origem do artista que, nomeadamente, limitam a circulação de pessoas.

Os bilhetes já adquiridos são válidos para as novas datas, mas quem pretender reembolso poderá fazê-lo até ao dia 31 de dezembro de 2020. Para ser ressarcido do preço dos bilhetes deverá dirigir-se ao local de compra.

Lamentamos o transtorno que esta situação possa causar, mas estamos a fazer os possíveis para que os fãs dos nossos artistas possam desfrutar dos concertos nas melhores condições e sempre em segurança.

ADIAMENTO CONCERTOS DE PENGUIN CAFE – MISTY FEST

A UGURU informa que os concertos de Penguin Cafe, agendados para a edição de 2020 do Misty Fest estão adiados para 2021.

– Porto, Casa da Música: 28 de novembro de 2021.
– Lisboa, Teatro Tivoli BBVA, 29 de novembro de 2021.

 

As razões do adiamento prendem-se com os condicionamentos causados pelas novas regras relativas à pandemia COVID 19, quer em Portugal, quer no país de origem do artista que, nomeadamente, limitam a circulação de pessoas.

Os bilhetes já adquiridos são válidos para as novas datas, mas quem pretender reembolso poderá fazê-lo até ao dia 31 de dezembro de 2020. Para ser ressarcido do preço dos bilhetes deverá dirigir-se ao local de compra.

Lamentamos o transtorno que esta situação possa causar, mas estamos a fazer os possíveis para que os fãs dos nossos artistas possam desfrutar dos concertos nas melhores condições e sempre em segurança.

BEBEL GILBERTO – POLITICA DE TROCAS E DEVOLUÇÕES DE BILHETES

UGURU lamenta informar que devido aos constrangimentos causados pela pandemia COVID -19, nomeadamente no que toca às novas regras sobre a lotação das salas, o concerto de Bebel Gilberto, agendado para este ano está adiado para 22 maio de 2021 no Casino Estoril.

A partir de 12 de outubro estarão à venda nos pontos de venda Ticket Line e bilheteira do Casino Estoril novos bilhetes para este concerto.

A troca ou devolução do dinheiro dos bilhetes irá ser feita no período compreendido entre 12 de outubro e 30 de novembro.

Para a troca ou devolução dos mesmos deverá:
– bilhetes adquiridos em www.ticketline.pt : o cliente é contactado pela Ticket Line, recebendo os novos bilhetes via e-mail, ou a devolução de acordo com o solicitado
– bilhetes adquiridos em pontos de venda físicos Ticket Line (Salas de espetáculo, FNAC, Worten, Abep, etc.): a troca é efetuada diretamente no local de compra.

Mais uma vez lamentamos o transtorno que esta situação possa causar, mas estamos a fazer os possíveis para que os fãs dos nossos artistas possam desfrutar dos concertos nas melhores condições e sempre em segurança.

Concertos de Bebel Gilberto, Lloyd Cole, Avishai Cohen e Pablo Milanês adiados para 2021

A UGURU lamenta informar que devido aos constrangimentos causados pela pandemia COVID -19, nomeadamente no que toca às novas regras sobre a lotação das salas, os concertos de Bebel Gilberto, Lloyd Cole, Avishai Cohen e Pablo Milanês agendados para este ano estão adiados para 2021.

Brevemente iremos disponibilizar toda a informação sobre as novas datas e os procedimentos que sejam necessários efetuar para cada um dos concertos, nomeadamente no que concerne à troca de bilhetes.

Tome atenção às NOVAS DATAS para 2021:

Mais uma vez lamentamos o transtorno que esta situação possa causar, mas estamos a fazer os possíveis para que os fãs dos nossos artistas possam desfrutar dos concertos nas melhores condições e sempre em segurança.

MISTY FEST estreia DUPLEX, o projeto conjunto de João Barradas e Ricardo Toscano

João Barradas e Ricardo Toscano são dois dos mais destacados nomes do presente jazz português. O primeiro, acordeonista, tem desenvolvido uma abordagem própria a um instrumento pouco comum no jazz e, tal como demonstrado com os dois trabalhos que este ano lançou na Nischo, um deles um solo absoluto registado no CCB, feito por merecer os amplos aplausos da crítica especializada. O segundo, saxofonista alto, tem-se não apenas notabilizado à frente do seu quarteto, angariando efusivos elogios, mas também sido chamado a colaborar em contextos muito distintos, seja para solar à frente de uma orquestra num concerto com Sam The Kid, seja para integrar, em palco com Camané, uma homenagem a Amália Rodrigues.
Juntos, Barradas e Toscano, vão assinar aquele que será certamente um dos mais aguardados encontros do ano sob a designação DUPLEX: “Eu adoro tocar com o João”, admite Ricardo, “quando nos encontramos é sempre uma viagem”. Barradas concorda: “Já nos conhecemos há muitos anos. Vi-o a primeira vez no CCB quando tinha uns 15 anos, era ele também um miúdo”. Foi numa edição da Lisbon Jazz Summer School e a ocasião foi uma masterclass de Greg Osby, gigante jazz americano que em ambos reconheceu imediatamente o desmedido talento.
Em palco, neste concerto especial do MISTY FEST, ambos prometem algo de especial. O reportório poderá passar por peças originais que ambos tencionam escrever para a ocasião, mas os nomes a visitar também reúnem concordância: “Cole Porter, Miles Davis, Charlie Parker…”, refere Barradas. “Uma adaptação de um quarteto de cordas do Wynton Marsalis”, pensa alto Ricardo Toscano. “Vamos certamente atirar-nos a alguns standards”, refere ainda o saxofonista, “que queremos transformar, claro”.
Um acordeão (ou dois, que Barradas também usa o acordeão sintetizador em palco) e um saxofone alto podem bastar para criar magia absoluta. João Barradas e Ricardo Toscano, que hoje já são bem mais do que meros aprendizes de feiticeiro, são as pessoas indicadas para criarem essa magia. Imperdível este Duplex, pois claro.

Joep Beving – Estreia em Portugal no Misty Fest

O facto de ser um dos pianistas vivos mais escutados no mundo atualmente diz muito do alcance da particular visão do holandês Joep Beving. Com quase dois metros de altura, barba e cabelo abundante, a sua imagem não corresponde, provavelmente, ao que se imagina se nos depararmos com uma peça como “Sleeping Lotus” numa plataforma de streaming (só no Spotify soma mais de 40 milhões de plays…): a sua vertente melancólica traduz-se em melodias de profunda capacidade de envolvimento o que já levou a que as suas composições sejam descritas como “música para os sonhos”.

Henosis, o mais recente e triunfal álbum de Joep Beving, vencedor de um prémio Edison, é já o seu terceiro trabalho para a mundialmente famosa Deutsche Grammophon, a mais conceituada editora no mundo da música clássica e erudita. Com envolvimento orquestral e eletrónico, o seu piano ascende aí a novos patamares de maravilhamento. Será esse o álbum que servirá de base a esta apresentação, com passagem por momentos chave da sua obra anterior igualmente assegurados.

cto de ser um dos pianistas vivos mais escutados no mundo atualmente diz muito do alcance da particular visão do holandês Joep Beving. Com quase dois metros de altura, barba e cabelo abundante, a sua imagem não corresponde, provavelmente, ao que se imagina se nos depararmos com uma peça como “Sleeping Lotus” numa plataforma de streaming (só no Spotify soma mais de 40 milhões de plays…): a sua vertente melancólica traduz-se em melodias de profunda capacidade de envolvimento o que já levou a que as suas composições sejam descritas como “música para os sonhos”.

Henosis, o mais recente e triunfal álbum de Joep Beving, vencedor de um prémio Edison, é já o seu terceiro trabalho para a mundialmente famosa Deutsche Grammophon, a mais conceituada editora no mundo da música clássica e erudita. Com envolvimento orquestral e eletrónico, o seu piano ascende aí a novos patamares de maravilhamento. Será esse o álbum que servirá de base a esta apresentação, com passagem por momentos chave da sua obra anterior igualmente assegurados.