RODRIGO LEÃO CINEMA PROJECT apresenta “A Estranha Beleza da Vida”

Este espetáculo, em que Rodrigo Leão se apresenta como Rodrigo Leão Cinema Project, reune repertório dos três discos editados em 2020 e 2021 (O Método, Avis 2020 e A Estranha Beleza da Vida), assim como uma seleção de temas clássicos do compositor. É, por isso, bastante eclético, com uma grande abrangência de estilos musicais que vão do neoclássico à valsa.
Em palco, Rodrigo Leão (sintetizador e piano e coros) é acompanhado pela sua banda habitual: Ângela Silva (voz, sintetizador e metalofone), Viviena Tupikova (Voz, violino e piano), Carlos Tony Gomes (violoncelo) e João Eleutério (guitarra, baixo, sintetizador, percussão, harmónio indiano e coros). Junta-se à banda um coro interpretando, entre outras, as partes corais gravadas no álbum O Método.
São ainda de realçar as imagens projetadas em vídeo no palco da autoria de Gonçalo Santos que integram desenhos da autoria do próprio Rodrigo Leão.

Ao longo do seu percurso, Rodrigo tem composto e pensado alguns dos seus álbuns como se de filmes se tratassem, uma história que se quer contar. A partir daí, tal como num filme, trata-se de fazer o casting certo de vozes para cada personagem que assume um papel nesta narrativa. Complementado com ambientes sonoros e música, Rodrigo realiza a montagem final que dá a cada disco uma abrangência musical diversa, ditada pela história de cada “filme”. Foi este o caminho seguido em álbuns como Alma Mater, Cinema ou A Mãe, e é nessa linhagem que A Estranha Beleza da Vida se inscreve. Trabalhos em que os convidados são as personagens que integram a história, como aconteceu com Adriana Calcanhoto, Beth Gibbons, Ryuichi Sakamoto ou Neil Hannon. Em comum, mais do que um estilo musical, estes discos partilham a ideia de pensar um álbum como se fosse um filme, assumindo o cinema como estilo transversal a todos os projetos.
A Estranha Beleza da Vida começou a tomar forma no final do ano.
“Comecei a pensar neste trabalho em Outubro de 2020, o mês em que regressei a Lisboa depois de meses de confinamento no meio do campo. Senti diferença logo nos primeiros temas, algo mais positivo, mais feliz, diferente dos ambientes do disco anterior. Alguns remetiam-me para uma época algo distante da que vivemos agora. Talvez não fosse por acaso e até resultasse de uma tentativa inconsciente de esquecer o presente…”
Rodrigo sempre se mostrou interessado em explorar géneros diferentes – valsa, tango, chanson, samba, neoclássico, ambiental e indie – como se os seus discos fossem viagens registadas e atravessadas pelo seu olhar. É um disco cinemático, uma viagem por canções e ambientes diversos revistos pela modernidade do tratamento a que as submete, nascidas de momentos de inspiração feliz agarrados a quente.

DITA VON TEESE Ao Vivo no Coliseu dos Recreios

A rainha do burlesco apresenta a nova digressão GLAMONATRIX
no próximo mês de maio.
Garanta o seu lugar no espetáculo do ano!

Von Teese, traz até Portugal a sua nova digressão, Glamonatrix. Verdadeiro ícone da mais alternativa cultura visual, Von Teese ganhou popularidade através de uma série de trabalhos nos domínios da música, vídeo e teatro, afirmando uma liberdade e sensualidade muito próprias. Contando fãs como Jean Paul Gaultier, Marc Jacobs ou Sir Elton John, Dita Von Teese é, de facto, uma conceituada artista internacional.

O seu novo espetáculo inclui fabulosos guarda-roupas de designers e marcas de culto como Mister Pearl, Jenny Packham, Alexis Mabille,Catherine D’Lish, Brooke Brothers e mais. Os sapatos, um show à parte, são criações à medida de Christian Louboutin. E neste espetáculo, coberta de cristais Swarovsky, Von Teese reimagina o número clássico do “bolo surpresa”, sonhos fetish à John Willie e tudo sobre remisturas eletrónicas de música do seu álbum a cargo de nomes de topo como Sebastien Tellier, Andrew Armstrong ou Monarchy. Em palco ao seu lado estarão Dirty Martini e Zelia Rose.
“O glamour”, explica Von Teese, “é a arte de criar mistério e sedução e o novo espetáculo Glamonatrix abarca todas essas qualidades”. Com um cast inclusivo composto por homens, mulheres e pessoas de género fluído, este é um show que se afirma como body-positive e celebratório a todos os níveis.

JOE JACKSON – Concertos no Porto e Lisboa Nova digressão “SING, YOU SINNERS!”

Joe Jackson vai apresentar-se ao vivo em Portugal com concertos no Coliseu Porto Ageas e Coliseu dos Recreios, em Lisboa, nos dias 29 e 30 de abril de 2022. O veterano músico, que foi peça chave na corrente new wave, estreou-se em Portugal em 1980 com concertos no Porto e em Cascais e só voltou ao nosso país em dois momentos já deste milénio, em 2001 e 2003, pelo que este será o seu aguardado regresso, quase duas décadas após a última apresentação.

Omúsico britânico está a apresentar uma nova digressão em que reencontra os músicos que o acompanharam numa triunfal tournée em 2019, a “Four Decade Tour”, e com quem gravou igualmente o seu trabalho mais recente, o álbum Fool. Graham Maby (baixo e vozes), Teddy Kumpel (guitarra e vozes) e Doug Yowell (bateria, vozes e eletrónica). Neste novo concerto, Joe aproveitará também para fazer um pequeno e mais íntimo set de canções em absoluto solo. Passando em revista os maiores êxitos da sua celebrada carreira, mas incluindo no alinhamento também várias pérolas que há muito não são apresentadas em palco, Joe Jackson promete igualmente algumas surpresas com novo material.

“Temos lidado com dois vírus nos últimos dois anos e aquele que precisamos mesmo de vencer é o Medo. O Amor é o oposto do medo, por isso, se amam a música venham apoiar-nos nestes concertos”.
JOE JACKSON

RODRIGO LEÃO | Who Can Resist | Novo Single JÁ DISPONÍVEL

Depois de “Friend of a Friend”, Rodrigo Leão apresenta o segundo single do seu próximo álbum, A Estranha Beleza da Vida, com lançamento global em Outubro pela BMG. Trata-se de “Who Can Resist”, que conta com voz e letra de Kurt Wagner, líder dos americanos Lambchop.
“Who Can Resist” é mais um exemplo do cuidado casting de vozes que Rodrigo faz para os seus álbuns mais cinemáticos como Alma Mater, Cinema ou A Mãe, e que de novo se manifesta em A Estranha Beleza da Vida. Para o novo single, o músico procurou uma voz masculina com que se pudesse identificar e que servisse de seu “alter ego” – “e a voz espessa de Kurt Wagner cativou-me imediatamente. Ele prontificou-se muito amavelmente para fazer a letra e cantar o tema, foi um privilégio poder contar com ele”.
“Who Can Resist” surgiu inicialmente no Verão de 2020, durante o confinamento em família de Rodrigo, “enquanto esperava pelos jantares em família”. “Quando não me calhava a vez de cozinhar, sentava-me um bocadinho ao piano, e sentia uma enorme felicidade por estarmos ali todos juntos sem sentir o tempo a fugir”. É uma canção feliz, livre, à imagem do álbum em que está incluído, “A Estranha Beleza da Vida”, que será publicado internacionalmente em Outubro através da BMG e que o seu autor descreve como “sobre a liberdade de podermos tentar criar sem barreiras, sem limites.”
Tal como já acontecera com “Friend of a Friend”, o single conta com imagem do escritor e ilustrador Afonso Cruz e estará disponível nas plataformas digitais habituais (Spotify, Apple Music e Deezer) a partir de 23 de julho.

Misty Fest 2021 – 12ª edição de 3 a 30 de novembro

 

2021 é o ano da 12ª edição do Misty Fest, festival distinto que sempre primou por apresentar a melhor música nas melhores salas. O Misty Fest renova assim o seu compromisso para com o seu público procurando, uma vez mais, apresentar uma programação da mais elevada qualidade artística, mantendo a sua exigência ao nível das apresentações, privilegiando, como sempre, a qualidade acústica, o conforto e a descentralização, com uma proposta de concertos em salas de excelência espalhadas pelo país e cimentando dessa forma um perfil que é absolutamente único no panorama nacional de festivais. Mais de uma década de experiência, recheada de concertos de elevadíssima exigência técnica, traduz-se num percurso que confere ao Misty um posicionamento distinto que se pretende continuar a refinar nesta décima primeira edição.
Este ano, o Misty continuará a prosseguir a sua singular veia de programação, voltando a ter em Coimbra um dos principais focos da sua programação: esta cidade do centro do país está hoje dotada de excelentes equipamentos que garantem o cumprimento dos parâmetros de qualidade técnica que sempre procuramos ter. É igualmente uma cidade vibrante, com uma imensa comunidade estudantil, com uma forte tradição de produção e acolhimento das mais diferentes correntes artísticas onde faz todo o sentido ter os mais importantes concertos da edição de 2021 do Misty Fest. De igual forma, Espinho terá também importância destacada nesta edição do Misty Fest: esta cidade do norte do país afirmou uma programação distinta, exigente de elevada qualidade, tendo formado um público próprio, com espírito de aventura, que é condizente com o perfil que o Misty Fest busca. E Lisboa, continua, claro, como ponto fulcral deste mapa nacional que o Misty Fest pretende continuar a explorar, tocando, aliás noutras zonas geográficas que serão oportunamente divulgadas.
Com a especial NOPO Orchestra, ponto de confluência das tradições norueguesa e portuguesa, o internacionalmente aplaudido projecto Lina_Raül Refree, o veterano espanhol das electrónicas Suso Sáiz, o nome de referência do novo jazz britânico Matthew Halsall, o mestre belga contemporâneo Wim Mertens, a lenda de Cabo Verde, Nancy Vieira, o embaixador do jazz israelita Avishai Cohen, o lendário Penguin Cafe, a revelação espanhola Travis Birds ou o compositor e pianista holandês Joep Beving, o Misty apresenta uma das mais internacionais edições de sempre.
Entre a mais refinada folk e a mais elaborada música orquestral, entre o rock, o jazz, a world music ou a eletrónica, programando, lado a lado, talento nacional emergente e valores indiscutíveis bem como nomes da esfera internacional aplaudidos por público e crítica, o Misty Fest afirma-se em 2021 como uma referência sem paralelo no panorama cultural português.
O Misty Fest é uma iniciativa promovida pela UGURU e a edição de 2021 é co-financiada pela União Europeia através do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional (Fundo de Coesão, Fundo Social Europeu, Fundos Europeus Estruturais e de Investimento, enquadrado no COMPETE 2020 (Programa Operacional da Competitividade e Internacionalização).

Rodrigo Leão – Novo single Friend of a Friend já está disponível

RODRIGO LEÃO ANUNCIA NOVO ÁLBUM
A ESTRANHA BELEZA DA VIDA PARA OUTUBRO

Clique aqui para assistir ao videoclip

O novo single de Rodrigo Leão é “Friend of a Friend”, com voz e letra da cantora-compositora canadiana Michelle Gurevich, e antecipa o novo álbum, A Estranha Beleza da Vida, em pré-venda desde 18 de Junho, e com lançamento previsto para Outubro. Um novo álbum que marcará igualmente o regresso de Rodrigo Leão aos palcos internacionais.

Ao longo do seu percurso, Rodrigo tem composto e pensado alguns dos seus álbuns como se de filmes se tratassem, uma história que se quer contar. A partir daí, tal como num filme, trata-se de fazer o casting certo de vozes para cada personagem que assume um papel nesta narrativa. Complementado com ambientes sonoros e música, Rodrigo realiza a montagem final que dá a cada disco uma abrangência musical diversa, ditada pela história de cada “filme”.

Foi este o caminho seguido em álbuns como Alma Mater, Cinema ou A Mãe, em que os convidados são as personagens que integram a história. Em comum, mais do que um estilo musical, estes discos partilham a ideia de pensar um álbum como se fosse um filme, assumindo o cinema como estilo transversal a todos os projectos.

Friend of a Friend traz de novo esta ideia do ambiente cinematográfico, com o casting de voz a recair sobre Michelle Gurevich. Para Rodrigo, é um dos seus temas preferidos do disco:

“Foi um tema que partiu inicialmente da procura de um ritmo feliz, com alguma influência da música dos anos 50, e que me deu o entusiasmo que procurava para encontrar novas ideias. Remete-nos para um tempo muito diferente do qual vivemos actualmente.”

Este single festivo apresenta um videoclipe rodado a 4 mãos, entre Copenhaga e Lisboa, sem os artistas se encontrarem ao vivo. Michelle e Rodrigo filmaram em cada um das suas cidades e assumiram-se como as personagens. Michelle assina a realização do videoclipe.

O single conta ainda com imagem e ilustração do conhecido escritor e ilustrador português Afonso Cruz e estará disponível nas plataformas digitais habituais (Spotify, Apple Music e Deezer) a partir de 18 de Junho.

Neste momento está já em pré-venda o novo álbum com edição global pela BMG em Outubro, dando continuidade à parceria iniciada com a editora no álbum O Método.

Pedro Jóia – Concertos da Culturgest adiados para 18 de Setembro

Face ao contexto atual, na Área Metropolitana de Lisboa, os concertos de Pedro Jóia, previstos para o dia 26 de junho, às 17 e às 21h, no Grande Auditório da Culturgest, foram adiados para o dia 18 de setembtro nos mesmos horários.

Os bilhetes já adquiridos serão válidos para a nova data.

Caso deseje solicitar o reembolso dos bilhetes deverá contactar o local da compra dos mesmos.

CONCERTO DE BEBEL GILBERTO ADIADO PARA DATA A DETERMINAR

 

Informamos que o concerto de Bebel Gilberto marcado para o dia 22 de maio de 2021, no Casino Estoril, não se vai realizar, sendo que o mesmo será adiado para data a anunciar o mais breve possível. Estamos neste momento a trabalhar no reagendamento de nova data para este espetáculo.

Quem já comprou bilhete pode reaver o dinheiro dirigindo-se ao local de compra ou, se preferir, pode esperar pelo  reagendamento do concerto porque os bilhetes continuarão válidos para a nova data.

Lamentamos esta situação causada pelas condições pandémicas que temos vindo a atravessar, que nomeadamente interferiram com os voos internacionais, e garantimos que faremos todos os nossos esforços para que este concerto se venha a realizar o mais brevemente possível.

Agradecemos a vossa paciência a compreensão,

A UGURU

Rão Kyao – Gandhi, o novo álbum lançado mundialmente

GANDHI (Um português homenageia Gandhi) é lançado mundialmente a 14 de maio pela editora alemã Galileo Music.

Músicos: Rão Kyao – Flautas de Bambu | Ruca Rebordão – Percussão | Toni Lago Pinto – Guitarra Clássica e Braguesa Bernardo Couto – Guitarra Portuguesa | Carlos Lopes Acordeão | Renato Silva Júnior – Harmónio e Teclados | Participação especial do Coro Cantar Glória (Carcavelos) – António Louzeiro, José Manuel Bastos, Luiz Santos, Dulce Thudichum, Fernanda Carrapatoso, Maria José Serra, Maria Fernanda Robalo, Maria Olívia Alves.

RÃO KYAO TEM UM NOVO ÁLBUM E GANDHI ESTÁ NELE

Igual e diferente. É assim Rão Kyao em 2021. Inalterável porque a matriz identitária da sua arte é singular, perene, apenas dele próprio. Renovado porque existem novos elementos a adicionar ao que dele já se conhecia. Em março foi lançado o single “Respeito Pela Natureza”. Agora aí está o álbum Gandhi – Um Português Homenageia Gandhi que mostra um ser humano ambientalista, ligado à espiritualidade e um humanista, capaz de reconhecer o legado futurista, global e pacifista do líder indiano Mahatma Gandhi (1986-1948). Mas há também um músico, um compositor e flautista na posse de todos os seus recursos, que propõe uma música que respira tanto de universalidade como de portugalidade.

É um álbum temático, orgânico, feito para ser experienciado em casa ou ao vivo, que tanto pode agradar aos admiradores fiéis, como abrir portas para uma nova geração que se revê na música e valores que difunde. Em “Respeito Pela Natureza” apela-se ao sentido ecológico de Gandhi, enquanto “Deus é Amor”, é uma reflexão mística que culmina com aquela frase que nos unifica. Em “Regresso às origens” apela-se à autossuficiência e ao espírito de independência e em “Paz é o caminho” recorda-se, como dizia Gandhi, que “não há caminhos para a paz’. A paz é o caminho.”

O tema “Misericórdia” alude ao ponto fundamental da sua sabedoria religiosa, enquanto “Sathya Graha”, dá ênfase à filosofia do amor e da não-violência que sempre guiaram Gandhi e que acabaria por conduzir ao afastamento dos ingleses. Um dia o líder Martin Luther King afirmou: “Cristo é a mensagem. Gandhi é o método.”

Em “Marcha do Sal” evoca-se a caminhada até às salinas, organizada por Gandhi, e que juntou uma multidão em prol do direito ao sal, enquanto que o tema “Independência” refere-se ao ano de libertação, em 1947. “Vaishnav jan to tene Kahiye je” é um tema muito amado por Gandhi, sobre as opções da humanidade, tendo-se tornado ao longo dos anos num hino que todos conhecem na Índia.

O tema final, “Mahatma”, na sua tradução literal significa Grande Alma, sobrenome atribuído a Gandhi pelo povo indiano

Se do ponto de vista temático é uma obra que respira globalidade, do ponto de vista musical faz-nos viajar até ao Oriente sem que em nenhum momento saiamos das texturas, da identidade e também dos ritmos de Portugal, com influências tão diversas, do malhão ao fado, numa viagem que é, afinal, ao nosso interior. Música pacificadora, mas ativa e encantatória, como o saber de Gandhi.

“Ele criou uma nova mentalidade nos indianos, um orgulho benigno em relação às suas origens”, refere Rão Kyao, “que os preparou para respeitar e perceber a riqueza da sua tradição. Não só fizeram o certo ao nível da relação com o passado, como recuperaram a independência económica e depois política em relação aos ingleses. Daí um tema como “Regresso às origens”. Ao mesmo tempo é notável como ele semeou a paz, no meio da luta, não respondendo à agressão, mas de uma maneira ativa, promovendo sempre a igualdade entre todos os seres humanos. O seu pensamento é de uma atualidade inimaginável. Sendo que dois dos seus grandes seguidores foram Martin Luther King e Nelson Mandela.”

Em Gandhi – Um Português Homenageia Gandhi, também existe uma mensagem, a do próprio Rão Kyao, a partir do saber de Gandhi:

“É preciso que regressemos às origens, olhando para o que é universal, sem esquecer as especificidades e aquilo que nos distingue. Isso ilustra a minha postura em relação à música.”

Uma música que, em palco, recorre à prestação de cinco dotados executantes para ser melhor exposta.

“O álbum foi totalmente gravado “sem quaisquer aditivos”, a pensar na sua apresentação ao vivo. É um disco que conta a história de um homem que através da paz ganhou a guerra. E essa história merece ser contada, ao vivo, musicalmente às pessoas.”

Recorde-se que o projeto começou como um desafio. As entidades oficiais da Índia lançaram um convite a 124 países para cada um deles escolher um músico que recriasse a canção “Vaishnav Jan to Tene Kahiye”. “Foi então que a embaixada da Índia me convidou para conceber uma versão desse tema, a partir do facto de conhecerem a minha ligação com a música indiana”, afirma Rão Kyao, que depois de ter finalizado a recriação, obteve uma reação imediata que não deixou de ser inesperada por parte do Primeiro Ministro da Índia, Narendra Modi, que o referenciou em todas as suas redes sociais.

Daí até que Rão Kyao mergulhasse, ainda mais fundo, na atualidade do pensamento de Gandhi, para conceber todo um álbum, foi um instante.

Eis-nos então perante mais um álbum de alguém que partiu do jazz e daí atirou-se ao mundo, do Oriente a África, da Europa às Américas, munido de flautas de bambu. Um embaixador da alma portuguesa. Uma longa carreira com muitos discos, imensos encontros e colaborações, muitas aprendizagens e inspirações, que o tornam no mais universal dos músicos portugueses. Nos últimos tempos nunca parou de recolher os elogios da crítica e os aplausos do público com trabalhos como Fado Virado a Nascente (2001), Porto Alto (2004) ou Coisas Que a Gente Sente (2012) e Aventuras da Alma (2017), sempre em trânsito pelo mundo. Agora ei-lo de volta, com grande música inspirada na vida e obra de Gandhi

 

PEDRO JÓIA apresenta “Zeca” ao vivo na CULTURGEST

PEDRO JÓIA apresenta concerto baseado no último álbum, “Zeca”, no âmbito do ciclo CAIXA NA CULTURGEST

“Uma homenagem muito afetiva de um guitarrista português à dimensão que a obra musical de José Afonso tem na cultura popular nacional passados mais de trinta anos sobre o seu desaparecimento.

A força das canções de José Afonso não se esgota nas suas palavras. A sua música é a um tempo simples, direta e de uma intensidade pungente.

São aqui apresentadas versões para guitarra – o instrumento que Zeca usava para compor a sua música e para se acompanhar.

Tenho ainda o privilégio de embarcar nesta viagem musical com o meu querido amigo e grande percussionista José Salgueiro.” Pedro Joia

Pedro Jóia é hoje um dos mais inestimáveis tesouros da música portuguesa. Neste concerto irá apresentar o seu trabalho mais recente, Zeca, editado pela Sony Music e que permaneceu no primeiro lugar do Top Português durante várias semanas. Além destes estes temas, Jóia oferece versões para guitarra de um repertório que assenta em alguma da melhor música produzida no século XX português no qual explana toda a sua técnica e sensibilidade musical.

A seu lado, em palco, estará o percussionista José Salgueiro

Pedro Jóia possui uma aplaudida carreira nacional e internacional que se estende por mais de duas décadas. Estreou-se nos discos com Guadiano em 1996 e desde então não deixou de enriquecer uma linguagem que parte da tradição portuguesa e busca inspiração na música do Brasil, de África, no flamenco e no jazz, para o desenho de uma linguagem altamente personalizada e original. Na sua discografia, Pedro Jóia homenageou Carlos Paredes, explorou a sofisticação do flamenco e ergueu um som que lhe valeu os mais rasgados elogios e importantes prémios, como o Prémio Carlos Paredes em 2007 pelo álbum À Espera de Armandinho.

A mestria de Pedro Jóia também lhe tem valido os mais diversos convites e por isso tem ao longo dos anos pisado palcos ao lado de grandes vozes como Ney Matogrosso, Gilberto Gil, Raquel Tavares ou Mariza com quem tem viajado internacionalmente desde 2012.

É igualmente presença frequente em concertos do coletivo Resistência, um projeto que integra importantes nomes da música portuguesa e que vive da ideia de cruzamento da guitarra clássica com momentos altos do nosso cancioneiro pop.