Mísia: Pura Vida TOUR

Disponibilidade: Todo o ano (Sob consulta) - Disponibilidade para Portugal e Comunidades Portuguesas

Para contratação: antoniocunha@uguru.net | carmocruz@uguru.net
miguelfurtado@uguru.net | nunosantos@uguru.net

PURA VIDA – O PROJETO

SENTIMENTOS E VONTADES
Depois de viver dois anos que foram – pelos piores motivos – uma aprendizagem vital de decisiva importância, sou a mesma, mas sou diferente.
De facto, tudo mudou.
Também e sobretudo o meu trabalho, que sou eu – não há fronteiras.
Eis aqui a banda sonora deste período, onde há céu e inferno, dureza e paixão. Fados de amarga saudade, músicas de coração e osso, rosas negras, ausência, lágrimas e renascimento. 
As músicas de Pura Vida (banda sonora) são pura música, puras notas musicais totalmente livres de regras, porque já não preciso pertencer a nenhum género ou tribo depois do que vivi. 
Não consigo nem quero banalizar isto.
Penso que o Fado não é alegre nem triste, é a Vida, o Destino. 
Só uma música com esta nobreza permite usar as suas melodias mais simbólicas como um pintor usa as cores primárias para dizer com elas tudo o que a sua alma precisa. 
Por isso digo que neste álbum há músicas de fados, mas não é um disco de Fado.
Pura Vida (banda sonora), está cheio de brechas, de rugosidades, e às vezes um pouco de “seda, veludo e lã”.
A guitarra portuguesa é o Céu e a guitarra eléctrica o Inferno. 
O sentimento trágico, é transmitido neste trabalho, através da guitarra eléctrica.
Não se trata, pois, de ser “pop ou moderno”, pelo contrário.
Ouso dizer que há uma beleza cinematográfica nos arranjos de Fabrizio Romano.
Não é este um disco para anestesiar o público. É um disco que procura o “outro”, o eco na fragilidade e incapacidade que todos nós já alguma vez sentimos.
O místico Rumi disse que a ferida é o lugar por onde a luz entra.
Neste caso trata-se de pedir que ouçam a diferença. A beleza, a força e a humildade que a passagem por um calvário nos pode trazer. A ânsia de um caminho possível através das palavras de Miguel Torga, Tiago Torres da Silva e Vasco Graça Moura, entre outros. 
E por fim, a vontade de viver e de cantar sem medo de mostrar as cicatrizes. 

Mísia, 

Fevereiro 2019 

___________

Mísia, sabe-o bem, que a pura vida acontece quando esta se deixa contaminar pelas emoções, pelas ideias e pelas vivências. A pura vida carrega as marcas – as visíveis e as invisíveis – de quem nela se atravessa. É isso que Mísia canta, com alma de quem bem sabe com quantas mágoas se tece um xaile negro. Esta fadista soube amar Amália e muitas outras vozes, de poetas e marujos, de compositores e músicos, que com ela ergueram um singular percurso e repertório de mais de 25 anos de entrega a palcos e estúdios, apontando tantas vezes caminhos e espaços que o fado não conhecia, mas que ela se atreveu a trilhar porque sentia que tinha que ser. Porque sentia.  

Em Pura Vida Mísia volta a cantar o fado, que não é triste, nem alegre, como gosta de dizer. É Destino. Volta a cantar os sentimentos e emoções com a sua grandeza e miséria em igual medida. Com os fados escolhidos para Pura Vida, Mísia pretende cantar o léxico e a gramática das emoções: o Amor e o Beijo, a Cidade, o Destino e a Esquina, a Felicidade, o Grito, o Mar e a Saudade, pois claro, o tudo e o quase nada. A vida, em estado puro. “E outras letras do abecedário”, garante ela. Tudo isto recorrendo a fados clássicos e a alguns inéditos, porque a vida, a pura vida, faz-se de certezas, obviamente, mas também de surpresas.  

 A palavras de Miguel Torga, Vasco Graça Moura, Tiago Torres da Silva e outros. A algumas músicas em castelhano que fazem parte da sua vida, do seu ADN. Companheiro essencial neste trabalho, o músico napolitano Fabrizio Romano que co-produz o trabalho com Mísia e que é ainda o director musical e responsável por quase todos os arranjos (exceto: Rosa Negra no Meu Peito II – Paulo Gaspar, Lágrima – Raul Refree e Ouso Dizer – Luís Guerreiro e Fabrizio Romano). Convidados nesta aventura vital são o artista argentino Melingo, o fadista Ricardo Ribeiro, o jovem guitarrista Gaspar Varela e o músico catalão Raul Refree. Porque a vida, a pura vida, faz-se de certezas, obviamente, mas também de surpresas. 

Detalhes da Digressão

Mísia – Tour: Pura Vida – 6 músicos em palco

 

Neste espetáculo, Mísia volta a cantar os sentimentos e emoções recorrendo aos fados clássicos e alguns inéditos que fazem parte do seu mais recente trabalho Pura Vida (Banda Sonora). Em palco, a cantora é acompanhada por guitarra portuguesa, violino, clarinete baixo, piano e guitarra elétrica.

Voltar ao Topo ↑

Vídeo

 

Voltar ao Topo ↑

Áudio

Voltar ao Topo ↑

Fotos

 
Voltar ao Topo ↑