Rodrigo Leão – Concertos de Apresentação de Novo Disco em Outubro

4 de outubro – CCB | 6 de Outubro – Casa da Música

Rodrigo Leão regressa aos palcos nacionais para apresentar o seu novo disco em estreia absoluta! O compositor, que assinalou em 2018 os 25 anos de uma muito bem-sucedida carreira, mostra agora em primeira mão as canções do novo álbum que será editado no final deste ano, num concerto que não vai poder perder.

Dono de uma das mais interessantes discografias do nosso país, o músico e compositor Rodrigo Leão tem conhecido o sucesso dentro e fora de portas. A sua música já viajou por todo o mundo tendo recebido aplausos nas mais distintas latitudes: por toda a Europa, mas também no Extremo Oriente ou na América.

Rodrigo Leão promete uma vez mais surpreender quem o tem seguido de perto ou quem queira agora embarcar nessa entusiasmante aventura em que estreia o novo espetáculo e o novo repertório.

JOHN MAYALL ao Vivo em Lisboa

Feat: Carolyn Wonderland (guitarras), Greg Rzab (baixo) Jay Davenport (bateria)

85TH ANNIVERSARY TOUR

Uma das maiores lendas dos blues do mundo, John Mayall, virá a Portugal no âmbito de uma digressão especial com que assinala o seu 85º aniversário. O líder dos lendários Bluesbreakers foi um dos principais pilares da propagação dos blues na Europa funcionando igualmente como um mestre para muitas gerações de músicos, de Eric Clapton e Peter Green, de Mick Fleetwod a Jack Bruce.

A obra de John Mayall é monumental: gravou sete dezenas de álbuns, sensivelmente metade em estúdio e a outra metade em palco, algo que acaba por espelhar a sua própria filosofia musical: se por um lado é encarado como um tecnicista de exceção, referência máxima para gerações de guitarristas que lhe estudaram o seu refinado estilo, por outro nunca deixou de pisar palcos por todo o mundo, propagando os blues como uma linguagem viva. Este ano, John Mayall deverá, aliás, editar um novo trabalho, prova de que continua a ser um incansável criador.

“Mayall”, explicou o Guardian há um par de anos, “é um daqueles músicos que prefere tocar a falar sobre o que faz. “Mas”, questionava o jornal de referência britânico, “o que será que têm os blues que agarra um músico e nunca o deixa ir?” O mestre explicou: “o segredo é a honestidade crua que expressa aquilo que realmente somos, as nossas experiências na vida”. E é isso: 85 anos de uma incrível história serão também celebrados em Portugal

Rui Massena III Trio – ao vivo em Sintra e Póvoa de Varzim

Rui Massena sublinhou a sua condição de artista de dimensão internacional com a edição de “III” na prestigiada Deutsche Grammophon, disco que mereceu os favores de um público devoto da sua música profundamente poética e meditativa, que não só o tem aplaudido ao vivo como tem aderido aos seus lançamentos levando cada novo projeto a alcançar significativos resultados de vendas.

O pianista e compositor está agora de regresso aos palcos, com um espetáculo acústico, centrado no triunfal “III“, mas que não esquecerá outros pontos altos da sua obra. Para este concerto, Massena faz-se acompanhar por cordas, com as cristalinas notas do seu piano a serem sublinhadas pelas harmonias desenhadas pela viola de arco e pelo violoncelo, numa apaixonante conversa a seis mãos em torno de um repertório composto por evocativas e românticas peças. “Este trabalho”, explicou o próprio Rui Massena, “contém uma intenção sonora muito diferente pelo que o concerto irá refletir isso mesmo, essa procura de novos caminhos para a minha música”.

Os caminhos podem ser novos e desafiantes, mas o maestro, pianista e compositor trilha-os com o mesmo rigor e dedicação e paixão com que sempre pautou todas as etapas da sua carreira, brindando o seu público com uma entrega profunda a uma música que estimula a imaginação e que transporta sempre quem a escuta para lugares da mais pura beleza.

CANCELADO: TERESA SALGUEIRO – LISBON STORY – 25 ANOS DEPOIS

Por imprevistos de ordem técnica, vemo-nos obrigados a cancelar os concertos de Teresa Salgueiro “Lisbon Story – 25 Anos depois”, agendados para os dias 19 e 20 de Julho de 2019 no Convento do Carmo, em Lisboa.

Lamentamos a situação e informamos os espectadores que podem solicitar o reembolso nos locais onde adquiriram os bilhetes até ao dia 31 de julho de 2019.

DEUTSCHE GRAMMOPHON EDITA INTERNACIONALMENTE O MAIS RECENTE ÁLBUM DE RUI MASSENA: “III”

O músico vai atuar no dia 16, no importante festival Classical:NEXT, em Roterdão.

Esta sexta-feira a célebre Deutsche Grammophon, uma das editoras mais importantes na história da música clássica, edita mundialmente o mais recente álbum do pianista e compositor Rui Massena, “III”.

Neste álbum, Rui Massena trabalhou, em Berlim, com o produtor , técnico de captação e mistura Tobias Lehman, vencedor de dois Grammys e veterano da editora Deutsche Grammophon. “III” foi produzido pelo próprio Rui Massena com o cúmplice de longa data Mário Barreiros, gravado entre Berlim e o Porto e masterizado em Nova Iorque pelo engenheiro vencedor de um Grammy Joe Laporta.

Já em 2017, a Deutsche Grammophon escolheu uma composição de Rui Massena, “Valsa”, para integrar a compilação “Expo 1”, ao lado de artistas como Philip Glass, Ólafur Arnalds e John Cage.

Esta edição internacional do álbum “III” pela Deutsche Grammophon é, assim, um momento marcante na internacionalização da carreira de Rui Massena, aquele que é, sem dúvida, o artista de música clássica que em Portugal se tornou numa das maiores referências, atuais, no universo da música popular.

O músico vai, inclusivamente, atuar no próximo dia 16 de maio no importante festival Classical:NEXT, em Roterdão, na Holanda. As próximas datas de Rui Massena incluem ainda concertos na Casa das Artes de Vila Nova de Famalicão (11 de maio), Centro Cultural de Macau (8 de Junho), no festival La Mar de Músicas, em Cartagena, Espanha (21 de julho), no Casino da Póvoa de Varzim (26 de julho) e no Centro Cultural Olga Cadaval, em Sintra (27 de julho).

Acabam também de ser revelados dois vídeos do concerto que Rui Massena deu no Coliseu do Porto no passado mês de fevereiro, mais precisamente dos temas “Valsa” e “Um Lugar”, este último retirado do álbum “III”.

Patxi Andión – concertos em Portugal assinalam 50 anos de carreira

PATXI ANDIÓN

50 ANIVERSARIO

NUEVO DISCO: LA HORA LOBICAN

Não há melhor maneira de celebrar 50 anos de carreira do que aproveitar a ocasião não para olhar para trás, mas para avançar rumo ao futuro. É exatamente essa a proposta de Patxi Andión, um dos artistas espanhóis mais “portugueses” de sempre.

Meio século depois da sua estreia com o single “Canto” / “La Jacinta”, trabalho que precedeu a estreia em LP com Retratos em 1969, Patxi decidiu assinalar a ocasião escrevendo 20 novas canções que decidiu dividir por dois volumes: La Hora Lobican editado em 2018 e o segundo volume dedicado a esta produção que olha para o futuro na hora de marcar 50 anos de canções tomará o título Profecia e deverá ser lançado este ano.

Oportunidade única para ouvir este extraordinário artista espanhol a cantar o passado, o presente e o futuro. Porque 50 anos é só o princípio de uma história que ainda tem muito para dar.

José Carreras ao vivo em portugal

 

Bilhetes à venda aqui: www.blueticket.pt/Event/4280

JOSÉ CARRERAS

Com ORQUESTRA SINFONIETTA DE LISBOA Dirigida por DAVID GIMÉNEZ • Soprano ISABEL ALCOBIA

CONCERTO ÚNICO EM PORTUGAL

O lendário Tenor celebra 60 anos de uma carreira triunfante numa digressão que tem sido internacionalmente apresentada como tournée de despedida

Aos 72 anos, José Carreras é um dos mais aplaudidos e premiados intérpretes de canto lírico do mundo, um tenor especialmente reverenciado pelas suas interpretações em óperas de Verdi e Puccini. José Carreras vai apresentar-se no magnífico palco da Altice Arena acompanhado pela soprano Isabel Alcobia e com a Orquestra Sinfonietta de Lisboa dirigida pelo maestro David Giménez. Uma ocasião rara e especial para presenciar um dos mais celebrados tenores do universo da música erudita, um cantor que ao lado de Placido Domingo e Luciano Pavarotti completou os míticos Três Tenores que protagonizaram alguns dos maiores concertos da história da música erudita.

Carreras nasceu em Barcelona em 1946, traçou o seu destino quando viu Mario Lanza a interpretar o papel principal no filme The Great Caruso tendo logo, aos seis anos, adotado “La Donna é mobile” como a primeira ária da sua vida. Jose Carreras dedicou-se aos estudos de música e estreou-se como tenor num pequeno papel de uma produção de Norma em 1970 e mesmo tendo apenas cantado apenas algumas frases, a sua interpretação foi suficiente para captar a atenção da estrela da companhia, Montserrat Caballé. E foi ela que o convidou a interpretar o papel de Gennaro em Lucretia Borgia de Donizetti, lançando-o definitivamente para os grandes palcos e para a fama internacional.

As décadas seguintes serviram para acumular aplausos da crítica e do público e para colecionar triunfos e distinções, oferecidas por estados – como aconteceu com as medalhas que lhe foram atribuídas em França ou Itália – ou Universidades de renome. Carreras gravou dezenas de óperas para as mais importantes editoras mundiais e, em 1990, em vésperas da final do campeonato do mundo de futebol, apresentou-se no primeiro concerto dos três Tenores com Pavarotti e Domingo, à frente de uma orquestra dirigida pelo mítico Zubin Mehta. O percurso dos Três Tenores prolongou-se por quase década e meia e firmou o nome de Jose Carreras no panteão exclusivo das maiores vozes mundiais.

O seu regresso a Lisboa é por tudo isso extremamente especial. Na Altice Arena, o tenor irá interpretar as pérolas do seu vasto reportório lírico, com algumas das mais populares árias da história a merecerem o cunho nobre da sua voz. Uma oportunidade imperdível para aplaudir uma das melhores vozes de sempre.

WILKO JOHNSON – CANCELAMENTO CONCERTO DO PORTO

A UGURU informa que por motivos de logística o concerto de Wilko Johnson marcado para o dia 13 de fevereiro na Casa da Música, Porto, foi cancelado.

Mais informamos que quem já comprou bilhete poderá assistir ao espetáculo do mesmo artista no dia anterior no Centro Cultural de Belém, em Lisboa. Para tal, a organização fornecerá transporte gratuito que sairá da Casa da Música no dia 12 de fevereiro às 16:30 e regressará ao Porto a seguir ao concerto. Os interessados em assistir ao espetáculo de Lisboa deverão contactar através do e-mail xandacunha@uguru.net até ao dia 7 de fevereiro de forma a serem informados do procedimento para a troca de bilhetes e confirmarem o transporte para o Centro Cultural de Belém.

Aos restantes compradores, que não desejem ver o concerto de Lisboa, basta que se dirijam ao local  onde adquiriram os bilhetes até ao dia 13 de março  para serem reembolsados.

Harlem Gospel Choir | Data Extra em Lisboa

HARLEM GOSPEL CHOIR – DATA EXTRA EM LISBOA
Devido a grande adesão aos espetáculos da grande Lisboa, a UGURU abriu mais uma sessão no Tivoli BBVA para
28 de novembro

Há 10 anos que os Harlem Gospel Choir alegram a nossa quadra natalícia!
Os espetáculos do coro de Nova Iorque são dos mais procurados no nosso país por altura do natal, o que justifica que a digressão deste ano seja das maiores, com 11 espetáculos de norte a sul de Portugal.
Pelo décimo ano consecutivo, o Harlem Gospel Choir troca Nova Iorque por Portugal para nos oferecer um Natal diferente, igualmente espiritual, festivo e capaz de unir toda a família em torno de algumas das mais celebradas canções do mundo.
O Harlem Gospel Choir, talvez o mais famoso grupo de gospel do mundo neste momento, já trouxe a Portugal espetáculos de homenagem a gigantes da música como Michael Jackson, Stevie Wonder ou Whitney Houston, Adele ou Beyoncé, compositores e interpretes de méritos mais do que reconhecidos que nas experientes vozes deste grupo se tornam também autores de hinos universais capazes de capturar o espírito de uma época muito especial.
Desta vez, o Harlem Gospel Choir propõe ao seu fiel público e a quem os queira agora descobrir uma viagem pelos maiores êxitos da sua muito celebrada carreira e como não poderia deixar de ser o grupo presta também homenagem a Aretha Franklin, que recentemente nos deixou, num medley com as canções mais icónicas desta enorme voz da soul.
Este grupo, que já cantou ao lado de ou para gente tão importante como Nelson Mandela, o papa João Paulo II, Paul McCartney, Diana Ross, U2 ou Gorilaaz, entre tantos outros, tem quase três décadas de história, percurso relevante que lhes permitiu colecionar muitos sucessos que agora se traduzem num envolvente espetáculo, capaz de elevar os espíritos e de inundar de paz qualquer plateia.
O convite é para uma celebração muito especial e dirige-se a toda a família. A banda sonora, essa será de luxo e entregue com o inimitável estilo do Harlem Gospel Choir.

RUI MASSENA APRESENTA NOVO DISCO

RUI MASSENA APRESENTA NOVO DISCO NO COLISEU PORTO AGEAS
Bilhetes já à venda!
“III” é o nome do novo álbum de Rui Massena Band, que estará nas lojas a 3 de Novembro e que está já disponível em pré-venda na Fnac e no iTunes.
São raras as figuras da música clássica a tornarem-se artistas de referência no universo da música popular. Em Portugal, são mais raras ainda – e, hoje em dia, resumem-se a um único nome: Rui Massena.
Divulgador incansável da música erudita, premiado internacionalmente, maestro convidado da Sinfónica de Roma – mas também músico de enorme sucesso popular, com dois álbuns que chegaram ao primeiro lugar dos tops, Rui Massena não faz distinções entre géneros musicais. O seu novo álbum, “III”, é a melhor prova disso.
Lançado a 3 de Novembro pela Universal Music, “III” é, nas palavras do seu autor, “um disco de grande avanço para mim”, “um resumo do que fiz até agora em palco”. Produzido pelo próprio Rui Massena e pelo cúmplice Mário Barreiros, “III” foi gravado em duas cidades.
Em Berlim, Rui Massena trabalhou com o produtor e técnico de captação e mistura Tobias Lehman, vencedor de dois Grammy e veterano da editora Deutsche Grammophon. “A ideia foi escolher um estúdio com grande acústica, com um piano que está constantemente em uso, como um carro de fórmula 1 que está sempre a ser afinado”, no caso um Steinway usado habitualmente pela Filarmónica de Berlim.
No Porto, as gravações decorreram com a Band de cinco elementos que tem acompanhado Rui Massena em palco ao longo dos últimos doze meses. “Mas esta não é a Band que se ouviu em palco”, explica o maestro. “Em palco, a Band era um projecto muito mais de ruptura, enquanto neste disco procurei encontrar um certo equilíbrio entre coisas que aprecio muito, juntar à minha formação clássica algo do som electrónico que se faz hoje em dia. Procurei manter a emotividade do meu segundo álbum e acrescentar um processo de fusão, electrónica e acústica. Abordei uma linguagem que desconhecia até pegar nela desta maneira e a organizar”.
No essencial, “III” é, contudo, um disco inconfundivelmente de Rui Massena. “Continua a ser a minha música: promove a tranquilidade que eu considero fundamental, com algo se quiser de terapêutico. Contém a emotividade que me faz vibrar e acrescenta-lhe um novo vocabulário, sons organizados de maneira desafiadora. O desafio com a Band foi descobrir novos sons, aumentar o meu léxico, tentando criar conjugações sonoras originais. E, no fim deste processo, reconheci para onde quero ir. “III” é um avanço na minha identidade como compositor.”
Com sete novos temas instrumentais compostos por Rui Massena e produzidos por Massena e Mário Barreiros, “III” foi masterizado em Nova Iorque pelo engenheiro vencedor de um Grammy Joe Laporta, e é editado a 3 de Novembro pela Universal Music. “III” será em seguida apresentado em palco numa digressão que tem já passagem garantida pelo Coliseu do Porto a 1 de Fevereiro de 2019.